Cassilândia, Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017

Últimas Notícias

28/06/2012 12:38

Artigo: A realidade poética de Gabriela

Prof. Rosildo Barcellos

Não sou “noveleiro”, mas por uma questão história e de memória deitei meus olhos para assistir a “novela das 11”. No ano em que se comemora o centenário de nascimento de um ícone da literatura brasileira, nada mais justo do que homenagear Jorge Amado com uma de suas grandes obras.Quase 40 anos depois de exibida e tornar-se uma das mais clássicas da nossa dramaturgia, lançando ao estrelado a gloriosa Sônia Braga, a novela foi preparada para comemorar, na época, os dez anos da Rede Globo na adaptação de Walter George Durst com direção geral de Walter Avancini. Não é um remake da novela homônima de 1975, mas uma adaptação do livro de Jorge Amado escrito por Walcyr Carrasco, com Juliana Paes vivendo a emblemática protagonista.

Assistir essa produção aguçou meu conhecimento da evolução histórica dos direitos humanos e torna possível a compreensão a partir de uma seqüência uniforme e de fundamentação, posto que a história começa no sertão da Bahia em 1925, ano em que ocorreu uma grande seca no Nordeste brasileiro, o que obrigou populações famintas a migrarem para o sul do estado em busca de melhores condições de vida. É neste cenário que a jovem Gabriela parte para Ilhéus, próspera cidade no litoral, reduto de ricos fazendeiros de cacau. E nesse cenário se retrata a condição da mulher naquela época notadamente com as personagens Sinhazinha e Malvina. Fato curioso : José Wilker e Ary Fontoura aparecem nos elencos das duas versões de Gabriela. Em 1975, Wilker foi Mundinho Falcão (personagem hoje de Matheus Solano). Agora, Wilker é o Coronel Jesuíno (que foi Francisco Dantas em 1975). Ary Fontoura, por sua vez, foi o Doutor Pelópidas em 1975 (hoje, Ilya São Paulo), e na versão atual é o Coronel Coriolano (personagem de Rafael de Carvalho na década de 70).

Mas além desta curiosidade sobredita, outro fato que me chamou a atenção foi o quanto tempo demorou para que tivesse de alguma forma constitucionalizado como fundamento da República Federativa do Brasil a dignidade da pessoa humana. Agora sim, um dos objetivos fundamentais em nosso país é a promoção do bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação. A Constituição de 1988 prevê como direito constitucional a igualdade de todos perante a lei sem distinção de qualquer natureza e a igualdade de homens e mulheres em direitos e obrigações.

E digo mais; apenas em 07 de agosto de 2006 é que foi sancionada a lei 11340 – Lei Maria da Penha. Ou seja a novela dá mostras claras do que era a opressão às mulheres no início do século XX, época em que o folhetim se passa e eu me pergunto quanto tempo se passou para que a legislação pertinente pudesse estar a disposição para ser utilizada. Fico pensando quantas pessoas tiveram de sofrer humilhações e perdas antes destes dispositivos legais pudessem ser utilizados.

Destarte ,isso me lembra a história de um homem que se colocou na entrada de Sodoma, denunciando a injustiça e a impunidade que reinavam na cidade. Até que um indivíduo passou por este homem e comentou: “Por anos você tem ficado aí tentando persuadir as pessoas a mudarem de atitude e com nenhuma delas obteve sucesso. Por que você continua? Este respondeu:Quando inicialmente vim para cá eu protestava, pois tinha esperanças de modificar as pessoas. Agora, continuo a gritar e denunciar, pois, se não o faço, elas é que terão me modificado”. Essa é a lição de Gabriela Cravo e Canela. Mormente, a luta de Maria da Penha Maia Fernandes(A lei 11340 levou seu nome) durou 20 anos e de tantas outras mulheres muito mais, outras até morreram pelo que acreditavam.O novo Código Penal por exemplo precisa ser discutido amplamente com a sociedade.Precisamos ser agentes da nossa própria história. E porque não, nós abraçarmos uma causa verdadeira, pacificamente mas com coragem e paixão, e lutarmos por ela.
*Articulista














O Cassilândianews não se responsabiliza por artigos, opiniões ou matérias com autoria

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 18 de Agosto de 2017
Quinta, 17 de Agosto de 2017
21:14
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)