Cassilândia, Sábado, 29 de Abril de 2017

Últimas Notícias

08/10/2010 08:58

Artigo: A condenação de professores e o significado

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL

A condenação dos oito professores da creche de São José do Rio Preto (SP), acusados de torturar seus pequenos alunos de 2 a 4 anos de idade é, acima de tudo, um ato de respeito à criança brasileira. O tamanho e as condições da pena - quatro anos de prisão com o direito de recorrer em liberdade - são detalhes que só a Justiça tem condições de avaliar, à sombra da real participação de cada um dos réus no cometimento dos crimes.

Esse caso é apenas um entre milhares de agravos que todos os dias são praticados contra as crianças em todos os quadrantes do país. Indefesas, imaturas e desamparadas, muitas delas são desrespeitadas nos seus direitos e necessidades e ofendidas na integridade por pessoas que, em vez de prejudicá-las, têm o dever de protegê-las. Professores, empregados domésticos, pais, mães, irmãos e outros familiares as abandonam, agridem e até as expõem a riscos, explorando-as economicamente e envolvendo-as em esquemas criminosos. Tudo isso deveria ser levado ao conhecimento das autoridades para os responsáveis receberem a devida punição. Mas, infelizmente, só os fatos mais graves são denunciados.

A proteção à infância e à juventude tem sido ineficiente em nosso país. Temos leis modernizantes, que impedem, por exemplo, o trabalho infantil, mas não garantem o encaminhamento da criança para a educação e o aprendizado que a tornem útil e competitiva no futuro. Pais e mães negligenciam com os filhos mas, na maioria das vezes, não são cobrados a cumprirem suas obrigações. Há, entre outras coisas, a desculpa de que eles próprios também foram crianças problema e, assim, não têm estrutura para bem encaminhar a prole. Então, não se faz nada e o problema aumenta.

É largamente sabido que o Brasil possui leis avançadas. Se todas fossem realmente cumpridas, teríamos uma das mais avançadas sociedades do planeta, mas lamentavelmente, também somos a terra do “jeitinho”. É preciso mudar. Temos de criar a cultura legalista e abandonar definitivamente a impunidade e o desrespeito. Oxalá a sentença de Rio Preto seja um divisor de águas e inaugurem um novo tempo de respeito e solidariedade à criança.

Em primeiro lugar, a família tem de assumir a responsabilidade por aqueles que coloca no mundo e formá-los para o bom convívio em sociedade. Os profissionais encarregados de serviços domésticos, educação e outros têm de ser conscientes de suas responsabilidades. E todo cidadão, em defesa do coletivo, deve ter o interesse social de proteger a infância e a juventude para, com isso, ajudar na formação das futuras gerações. Todos os que vierem a desrespeitas e a ofender a criança devem merecer o mesmo destino dos oito professores riopretanos e, no mínimo, serem condenados a prestas serviços comunitários em entidades voltadas ao mundo infantil, como forma de compensar pelo menos um pouco o mal que causaram...



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)

aspomilpm@terra.com.br



Dados do Autor:

Dirceu Cardoso Gonçalves – tenente-PM

RG nº 5301.573-SP

aspomilpm@terra.com.br

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 29 de Abril de 2017
Sexta, 28 de Abril de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)