Cassilândia, Quarta-feira, 26 de Abril de 2017

Últimas Notícias

22/08/2008 13:04

Arroba do boi sobe 7% até abril mas custos crescem mais

Agência CNA

As elevações nos preços dos principais insumos utilizados na pecuária em 2008 reduziram a receita dos produtores, hoje insuficiente para financiar os desembolsos da atividade. Embora a arroba do boi gordo tenha valorizado 7,07%, de janeiro a abril deste ano, o Custo Operacional Efetivo (COE), que inclui os gastos com suplementos minerais, mão-de-obra e adubos corretivos, entre outros itens, subiu 16,52% nos quatro primeiros meses do ano. Em abril, a alta do COE foi de 2,99%. “Os sucessivos encarecimentos prejudicaram os ganhos promovidos pela alta da arroba”, afirma o presidente do Fórum Nacional Permanente de Pecuária de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antenor Nogueira. Segundo os Ativos da Pecuária de Corte, divulgados hoje pela CNA e Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Universidade de São Paulo, as maiores elevações do COE, no acumulado do ano, ocorreram em Rondônia (26,63%), Mato Grosso (21,4%) e Pará (20,06%).



O levantamento revela que, entre os insumos que mais encareceram no primeiro quadrimestre, a suplementação mineral teve variação de 58,77% na média Brasil. O impacto deste item na atividade foi mais expressivo principalmente no Mato Grosso, que registrou alta de 81,8%, e Pará, cuja elevação foi de 73,3%. De acordo com o estudo, a valorização do sal mineral decorre principalmente do aumento do preço do fosfato bicálcico, principal matéria-prima utilizada na fabricação deste insumo, com elevação de 133% de novembro de 2007 a abril deste ano.



Outro item que pesou nos custos de produção foi a compra de bezerros para a reposição do rebanho, que registrou aumento de 14,21% no primeiro quadrimestre. Entre os 10 Estados incluídos na pesquisa, o Rio Grande do Sul teve a maior alta neste item, de 23,7%. Os adubos e corretivos também contribuíram para o crescimento dos custos, com valorização 18,79% em 2008. Rio Grande do Sul e São Paulo foram os mais afetados, com aumentos de 32,5% e 31,3%, respectivamente.



Já o Custo Operacional Total (COT) que, além dos gastos efetivos, envolve desembolsos para repor a depreciação de maquinário e benfeitorias, variou 2,59% em abril, chegando a 13,47% no ano. As maiores elevações mensais no COT foram observadas em Mato Grosso (4,89%), Rio Grande do Sul (3,80%) e Pará (3,64%). De janeiro a abril, Rondônia, Pará e Mato Grosso tiveram os principais aumentos nos custos totais.



Gestão de Custos - Preocupada com a constante alta dos custos de produção da pecuária de corte, a CNA desenvolveu, em parceria com o Cepea-USP, um programa de computador para auxiliar na gestão de custos nas propriedades. Segundo Antenor Nogueira, esse software será disponibilizado no site da entidade (www.cna.org.br) a partir de setembro. Para utilizar a ferramenta, bastará o produtor baixar o arquivo da Internet e gravar no seu computador. Poderá, também, fazer as atualizações do programa a cada nova versão.



O pecuarista encontrará neste programa planilhas para serem preenchidas com dados sobre seu rebanho, a propriedade e insumos utilizados na produção, entre outros itens. Com base nesses dados obterá os resultados necessários para avaliar o desempenho de sua propriedade e tomar decisões a respeito do gerenciamento dos seus custos. A partir da próxima edição dos Ativos da Pecuária de Corte o Estado do Acre passará a integrar a lista dos Estados pesquisados mensalmente pela CNA/Cepea. Hoje, o levantamento abrange um total de 10 Estados que se destacam na produção pecuária.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 26 de Abril de 2017
Terça, 25 de Abril de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)