Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

22/08/2008 13:04

Arroba do boi sobe 7% até abril mas custos crescem mais

Agência CNA

As elevações nos preços dos principais insumos utilizados na pecuária em 2008 reduziram a receita dos produtores, hoje insuficiente para financiar os desembolsos da atividade. Embora a arroba do boi gordo tenha valorizado 7,07%, de janeiro a abril deste ano, o Custo Operacional Efetivo (COE), que inclui os gastos com suplementos minerais, mão-de-obra e adubos corretivos, entre outros itens, subiu 16,52% nos quatro primeiros meses do ano. Em abril, a alta do COE foi de 2,99%. “Os sucessivos encarecimentos prejudicaram os ganhos promovidos pela alta da arroba”, afirma o presidente do Fórum Nacional Permanente de Pecuária de Corte da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Antenor Nogueira. Segundo os Ativos da Pecuária de Corte, divulgados hoje pela CNA e Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Universidade de São Paulo, as maiores elevações do COE, no acumulado do ano, ocorreram em Rondônia (26,63%), Mato Grosso (21,4%) e Pará (20,06%).



O levantamento revela que, entre os insumos que mais encareceram no primeiro quadrimestre, a suplementação mineral teve variação de 58,77% na média Brasil. O impacto deste item na atividade foi mais expressivo principalmente no Mato Grosso, que registrou alta de 81,8%, e Pará, cuja elevação foi de 73,3%. De acordo com o estudo, a valorização do sal mineral decorre principalmente do aumento do preço do fosfato bicálcico, principal matéria-prima utilizada na fabricação deste insumo, com elevação de 133% de novembro de 2007 a abril deste ano.



Outro item que pesou nos custos de produção foi a compra de bezerros para a reposição do rebanho, que registrou aumento de 14,21% no primeiro quadrimestre. Entre os 10 Estados incluídos na pesquisa, o Rio Grande do Sul teve a maior alta neste item, de 23,7%. Os adubos e corretivos também contribuíram para o crescimento dos custos, com valorização 18,79% em 2008. Rio Grande do Sul e São Paulo foram os mais afetados, com aumentos de 32,5% e 31,3%, respectivamente.



Já o Custo Operacional Total (COT) que, além dos gastos efetivos, envolve desembolsos para repor a depreciação de maquinário e benfeitorias, variou 2,59% em abril, chegando a 13,47% no ano. As maiores elevações mensais no COT foram observadas em Mato Grosso (4,89%), Rio Grande do Sul (3,80%) e Pará (3,64%). De janeiro a abril, Rondônia, Pará e Mato Grosso tiveram os principais aumentos nos custos totais.



Gestão de Custos - Preocupada com a constante alta dos custos de produção da pecuária de corte, a CNA desenvolveu, em parceria com o Cepea-USP, um programa de computador para auxiliar na gestão de custos nas propriedades. Segundo Antenor Nogueira, esse software será disponibilizado no site da entidade (www.cna.org.br) a partir de setembro. Para utilizar a ferramenta, bastará o produtor baixar o arquivo da Internet e gravar no seu computador. Poderá, também, fazer as atualizações do programa a cada nova versão.



O pecuarista encontrará neste programa planilhas para serem preenchidas com dados sobre seu rebanho, a propriedade e insumos utilizados na produção, entre outros itens. Com base nesses dados obterá os resultados necessários para avaliar o desempenho de sua propriedade e tomar decisões a respeito do gerenciamento dos seus custos. A partir da próxima edição dos Ativos da Pecuária de Corte o Estado do Acre passará a integrar a lista dos Estados pesquisados mensalmente pela CNA/Cepea. Hoje, o levantamento abrange um total de 10 Estados que se destacam na produção pecuária.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)