Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/06/2009 17:23

Arquivada ação sobre caso Sean e garoto segue no Brasil

Marco Antonio Soalheiro , Agência Brasil

Brasília - O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (10) por unanimidade arquivar sem julgamento de mérito uma ação ajuizada pelo Partido Progressista (PP) contra sentença da 16ª Vara Federal da Seção Judiciária no Rio de Janeiro, que tinha determinado que o garoto fosse entregue aos cuidados de seu pai biológico, o americano David Goldman.

A devolução da criança, entretanto, ainda não está decidida porque o Tribunal Regional Federal da 2ª Região concedeu uma liminar que garante, pelo menos até o julgamento final do caso na Justiça Federal, a permanência de Sean no país, sob a guarda de sua família brasileira.

Sean Goldman veio dos Estados Unidos há cinco anos, com a mãe Bruna Bianchi, para passar as férias e visitar a família materna. Já no Brasil, a mãe resolveu pedir o divórcio de David Goldman. Bruna morreu, no ano passado, de complicações do parto da segunda filha, do casamento com o advogado João Paulo Lins e Silva.

A briga na Justiça pela guarda do menino, que tem dupla nacionalidade, norte-americana e brasileira, é travada entre a família do padrasto e a do pai biológico.

O relator, ministro Marco Aurélio, entendeu que a ação proposta é incabível. O caso de Sean está sendo tratado pela Justiça Federal, ainda sem decisão definitiva. Ele foi seguido pelos demais ministros.

A ministra Ellen Gracie ressalvou, porém, que, na sua interpretação da Convenção de Haia, apenas a Justiça americana é competente para decidir sobre o destino do menor, uma vez que o pai e a mãe residiam naquele país antes do afastamento.

O PP argumentava na ação que não poderia ser desconsiderado o desejo do garoto de permanecer no Brasil, com a família materna. Segundo a legenda, a decisão da Justiça Federal configura lesão ao preceito fundamental de proteção à criança.

O advogado Sérgio Tostes, que representa a família brasileira do garoto, disse que seria uma “crueldade” do Poder Judiciário retirar um cidadão brasileiro de seu país. Tostes lembrou ainda que o garoto já declarou explicitamente, por pelo menos sete vezes, que deseja permanecer no Brasil.

Já o advogado Ricardo Zamariola, contratado pelo pai biológico de Sean, ressaltou que perícias constataram que “o menino não tem condições psicológicas e emocionais para dizer o que deseja”. Zamariola argumentou ainda que “não seria razoável” fazer de um menino órfão de mãe também órfão de pai.

A Advocacia-Geral da União (AGU), por sua vez, se posicionou favoravelmente à devolução do garoto ao pai por crer que o caso poderia resultar na imposição de sanções ao país e no comprometimento de obrigações assumidas perante a comunidade internacional.

Segundo o advogado-geral da União, José Antonio Dias Toffoli, 22 crianças já voltaram ao Brasil em obediência à Convenção de Haia. A AGU atua hoje em 41 casos nos quais há pedidos de outros países de restituição de crianças que estariam ilegalmente no Brasil.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)