Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

18/04/2005 15:48

Armas:Severino diz que não está dificultando votação

Iolando Lourenço e Gabriela Guerreiro / ABr

O presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti (PP-PE), rebateu hoje as críticas de que estaria dificultando a votação do projeto que autoriza a realização de referendo sobre a venda de armas de fogo no país. Cavalcanti disse que decidiu prorrogar até quarta-feira (20) o prazo para votação do projeto na Comissão de Segurança Pública da Câmara porque não haveria prejuízo para a tramitação da matéria.

"A pauta do plenário está trancada por nove medidas provisórias, e a presidência concedeu novo prazo de apenas seis dias para que a comissão apresente o seu parecer", afirmou Severino Cavalcanti, em nota oficial.

Ele disse que não tem qualquer interesse em dificultar a tramitação da matéria. "Apenas interesses obscurantistas e desconhecimento da matéria podem atribuir à presidência da Câmara a intenção de retardar, de algum modo, a tramitação do projeto. Ao contrário, a presidência quer apreciá-lo o mais urgentemente possível", afirmou.

Severino Cavalcanti garantiu que a presidência da Câmara está empenhada em levar diretamente para o plenário a votação do requerimento de urgência apresentado pelo deputado Raul Jungmann (PPS-PE), para evitar que a matéria passe pelas comissões. "Mas para isso a pauta tem que estar liberada", ressaltou o presidente da Câmara.

Ele também fez um apelo, na nota, para que o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, o ajude a acelerar a tramitação do projeto na Câmara - para que o referendo possa ser realizado no dia 2 de outubro. "Ele (o ministro) pode ajudar a acelerar a tramitação do projeto pedindo ao seu governo que limite a desenfreada edição de medidas provisórias que trancam a pauta e impendem justamente o trabalho do parlamento".

Na última sexta-feira (15), Severino Cavalcanti concedeu à Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado mais uma semana de prazo para votação do projeto de decreto legislativo do Senado, que fixa em 2 de outubro a data do referendo sobre a venda de armas de fogo no país. Atendendo a apelo do deputado Alberto Fraga (sem partido-DF), um dos integrantes da chamada "bancada da bala", a votação do decreto foi postergada até quarta-feira (20).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)