Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

07/01/2011 06:54

Argentina investiga suspeita de participação de brasileiros em roubo de cofres

BBC Brasil

Brasília - Autoridades brasileiras e argentinas investigam a suspeita de que brasileiros participaram do roubo de 136 cofres de uma agência do Banco Província, em Buenos Aires, que ocorreu em duas etapas – no final de 2010 e no último dia 3. Estima-se que os ladrões possam ter levado mais de US$ 6 milhões, em dinheiro e joias. Com o apoio de policiais brasileiros, os investigadores da Argentina analisam as semelhanças do roubo em Buenos Aires com o do Banco Central em Fortaleza, no Ceará, em 2005.

“Só posso confirmar que a Polícia Federal brasileira percebeu que a ação dos criminosos aqui pode ter sido similar à que ocorreu no Brasil e acionou a Policia Federal argentina”, disse o promotor do caso, Martín Niklison.

A adida da Polícia Federal na Embaixada do Brasil na capital argentina, a delegada Miranjela Leite, disse que o planejamento dos bandidos foi semelhante ao empregado no roubo do Banco Central, em Fortaleza.

“O modus operandi foi similar ao usado em Fortaleza. E o interesse da Policia Federal brasileira ocorre também porque alguns suspeitos daquele caso não foram presos e os que foram presos já foram liberados”, afirmou a delegada. Ela lembrou que até hoje grande parte do valor roubado, estimado em mais de R$ 160 milhões, não foi recuperado.

A delegada confirmou que um agente da Polícia Federal brasileira chegará a Buenos Aires no início da próxima semana com provas, como digitais e exames de DNA, que envolveram os ladrões brasileiros no roubo em Fortaleza. As polícias do Brasil e da Argentina vão comparar o material com o que reúnem os investigadores argentinos. “Será um intercambio de informações”, disse Leite.

Em Buenos Aires, como em Fortaleza, os envolvidos alugaram um ponto ao lado do banco, cavaram um túnel durante meses e retiravam a areia de forma simulada do local. Na capital argentina, o túnel de 30 metros foi cavado durante seis meses, período no qual alugaram uma loja ao lado do banco.

A polícia investiga o fato de que os ladrões passaram várias horas dentro da
área onde estão os cofres. O alarme teria sido acionado, mas ninguém desconfiou que fosse um roubo. Câmeras de segurança de uma pizzaria próxima à agência registraram quando eles deixaram o local e caminhavam para um carro, já com rostos descobertos, carregando sacolas com o que furtaram dos cofres. As imagens fazem parte da investigação policial e judicial da Argentina.

A delegada afirmou ainda que, em alguns casos, as quadrilhas da região têm agido conjuntamente e por isso os países do Mercosul assinaram, em 1999, um acordo na área de segurança que prevê a troca de informações. A Polícia Federal argentina também pediu apoio à Interpol, com escritório na capital do país, para localizar os ladrões do Banco Província, ligado ao governo da província de Buenos Aires.

Além do Banco Central do Brasil, em Fortaleza, ladrões podem ter usado o mesmo planejamento na tentativa de assalto ao Banrisul, em Porto Alegre, em 2006, onde cavaram, segundo autoridades policiais, um túnel de 80 metros, mas foram flagrados quando ainda faltavam 12 metros para chegar aos cofres.

Fato similar teria ocorrido recentemente em Assunção, no Paraguai, cujas investigações também contaram com o apoio da Polícia Federal brasileira.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)