Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

14/08/2012 13:49

Aprovada PEC que dá a delegados status de carreira jurídica em MS

Paula Maciulevicius e Fabiano Arruda, Campo Grande News

A Assembleia Legislativa aprovou em primeira e segunda discussão, após convocar sessão extraordinária, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que propõe que o cargo de delegado passe a integrar às carreiras jurídicas do Estado.

O líder do Governo, deputado estadual Júnior Mocchi (PMDB), ao final da votação, disse que a Adepol/MS (Associação dos Delegados de Polícia de Mato Grosso do Sul) pediu a inclusão da Proposta no começo do ano. O projeto foi para segunda discussão ainda hoje, depois de ter o parecer favorável da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) da Assembleia Legislativa.

A PEC agora segue para ser sancionada pelo governador André Puccinelli (PMDB). Os delegados que acompanhavam toda a votação aplaudiram de pé.

Na tribuna, o presidente da Adepol, Fabiano Gastaldi, agradeceu a iniciativa dos parlamentares e ressaltou que os delegados nunca deveriam ter perdido o status porque a função é estritamente jurídica.

Gastaldi exemplificou que os delegados já fazem o julgamento se devem prender ou não os suspeitos, o que é de contribuição jurídica. “É a valorização da atuação teórica dos delegados, um reconhecimento a função que sempre foi estritamente ligada ao Direito”, argumentou.

A proposta altera o artigo 44 da Constituição Estadual, destacando que o cargo de delegado de Polícia passa a integrar as carreiras jurídicas do Estado, como já ocorre em vários estados do País.

Para o delegado Fábio Sampaio, a Constituição Federal já definia a carreira dos delegados como jurídica. “Faltavam alguns estados, que não praticavam isso pela Constituição Estadual”, disse.

O delegado Dimitri Palermo ressaltou que agora, os delegados podem passar a presidir audiências de TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) em casos de crime de menor potencial ofensivo.

Gastaldi disse que a PEC não altera os salários, apenas valoriza o status. Contrariando a declaração, o relator da proposta na CCJ, deputado Marquinhos Trad (PMDB) disse que a aprovação significa também alteração nos vencimentos. “Um delegado, na prática, vai passar a ganhar que nem juiz”, explicou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)