Cassilândia, Sábado, 21 de Outubro de 2017

Últimas Notícias

14/08/2012 13:49

Aprovada PEC que dá a delegados status de carreira jurídica em MS

Paula Maciulevicius e Fabiano Arruda, Campo Grande News

A Assembleia Legislativa aprovou em primeira e segunda discussão, após convocar sessão extraordinária, a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que propõe que o cargo de delegado passe a integrar às carreiras jurídicas do Estado.

O líder do Governo, deputado estadual Júnior Mocchi (PMDB), ao final da votação, disse que a Adepol/MS (Associação dos Delegados de Polícia de Mato Grosso do Sul) pediu a inclusão da Proposta no começo do ano. O projeto foi para segunda discussão ainda hoje, depois de ter o parecer favorável da CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação) da Assembleia Legislativa.

A PEC agora segue para ser sancionada pelo governador André Puccinelli (PMDB). Os delegados que acompanhavam toda a votação aplaudiram de pé.

Na tribuna, o presidente da Adepol, Fabiano Gastaldi, agradeceu a iniciativa dos parlamentares e ressaltou que os delegados nunca deveriam ter perdido o status porque a função é estritamente jurídica.

Gastaldi exemplificou que os delegados já fazem o julgamento se devem prender ou não os suspeitos, o que é de contribuição jurídica. “É a valorização da atuação teórica dos delegados, um reconhecimento a função que sempre foi estritamente ligada ao Direito”, argumentou.

A proposta altera o artigo 44 da Constituição Estadual, destacando que o cargo de delegado de Polícia passa a integrar as carreiras jurídicas do Estado, como já ocorre em vários estados do País.

Para o delegado Fábio Sampaio, a Constituição Federal já definia a carreira dos delegados como jurídica. “Faltavam alguns estados, que não praticavam isso pela Constituição Estadual”, disse.

O delegado Dimitri Palermo ressaltou que agora, os delegados podem passar a presidir audiências de TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência) em casos de crime de menor potencial ofensivo.

Gastaldi disse que a PEC não altera os salários, apenas valoriza o status. Contrariando a declaração, o relator da proposta na CCJ, deputado Marquinhos Trad (PMDB) disse que a aprovação significa também alteração nos vencimentos. “Um delegado, na prática, vai passar a ganhar que nem juiz”, explicou.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 21 de Outubro de 2017
Sexta, 20 de Outubro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 19 de Outubro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)