Cassilândia, Domingo, 04 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

01/03/2006 15:47

Apreensões de pescado caíram 23% na última piracema

Humberto Marques / Campo Grande News

Foi liberada à 0h de hoje a pesca nos rios de Mato Grosso do Sul, determinada pelo fim da piracema (processo de reprodução dos peixes). Com início em novembro de 2005, o período de defeso tem por objetivo garantir a desova dos peixes nas nascentes dos rios, e, para impedir qualquer intervenção humana no processo, a PMA (Polícia Militar Ambiental) promoveu fiscalização nos rios do Estado – com vistas a impedir a ação de pescadores, em especial a pesca predatória. Nesta quarta-feira, o 15º Batalhão da PMA divulgou o balanço das operações, demonstrando uma redução no total de apreensões em relação ao ano anterior, em especial a quantidade de pescado apreendida.

Enquanto no período anterior de Piracema (2004/2005) foram apreendidos 2.190 kg de pescado. Já neste ano, a PMA recolheu da mão de pescadores 1.685,1 kg de peixe – redução aproximada de 23,1%. É o terceiro ano consecutivo em que se registra queda no total de pescado apreendido de pescadores: no período de defeso entre 2002/2003, a PMA confiscou 2.385,5 kg de pescado, e, na Piracema posterior (2003/2004), 2.294,8 kg de peixes foram retirados das mãos de pescadores.

A última piracema também registrou queda no total de flagrantes encaminhados à delegacias da Polícia Civil. Foram 45 encaminhamentos, contra 51 no período anterior. Ao mesmo tempo, o Ibama expediu 64 autos de infração (contra nenhum da Sema, Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos), número maior que na piracema anterior – quando 56 autos do instituto e outros três da Sema puniram pescadores pela atividade irregular.

Petrechos – Em geral, a PMA apreendeu menos aparatos de pesca que no período anterior. Dentre os equipamentos, a presença de anzóis de galho (proibidos por serem considerados de risco para a quantidade de animais por cardumes), redes e tarrafas foram os mais recolhidos: respectivamente 972, 91 e 32. Treze motores de popa, 11 barcos e nove canoas também fizeram parte do “arsenal” apreendido este ano pela autoridade ambiental sul-mato-grossense, ao lado de três veículos.

Regras – A pesca está liberada nos reservatórios pesqueiros de Mato Grosso do Sul. No entanto, como forma de coibir a redução nos estoques dos rios, a Sema instituiu novas regras para os pescadores, com a limitação da quantidade de peixes que poderão ser retiradas por pescador. A partir de agora, os pescadores amadores ou esportistas terão direito a retirar dos rios apenas dois exemplares de peixes (um de escamas e um de couro) e cinco piranhas. Já os pescadores profissionais – que têm a atividade como principal, senão única, fonte de renda – terão direito a 100 kg de pescado por semana, totalizando 400 kg por mês.

A medida foi tomada com base à pesquisa realizada pela Superintendência de Pesca da Sema, que apontou redução dos cardumes e do número de peixes por cardume nos rios do Estado. O último monitoramento realizado pela secretaria, identificou-se a média de 6,6 kg de peixe capturados por pescador nos rios, contra 7,2 kg no ano anterior. Em 1981, esse total era de 222,8 kg por pescador ao dia, tendo como referência o rio Miranda, um dos preferidos pelos pescadores do Estado.

Esta será mais uma das medidas adotadas pela administração estadual para evitar a redução no total de cardumes. Outras ações adotadas foram, além da redução das cotas, a unificação do período de defeso com o Paraguai, Mato Grosso e governo federal. Outra medida defendida pela administração estadual é a moratória da pesca (proibição total de pesca nos rios do Estado), tema controverso que gerou atritos recentes entre o governador Zeca do PT e o ministro de Aqüicultura e Pesca, José Fritsch.

Enquanto o chefe do Executivo estadual é a favor da medida, o ministro se posiciona de forma contrária, temendo os riscos econômicos para as famílias que dependem da atividade pesqueira. Zeca chegou a dizer que Fritsch “não entende nada de pesca”. O ministro, por sua vez, evitou polemizar mais sobre o assunto.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)