Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/07/2006 13:51

Aposentados pressionam Câmara para reajuste de 5%


Os sindicatos dos aposentados e pensionistas tentam, mais uma vez, um acordo com os deputados para que o reajuste de 16,67% não seja aprovado e o acordo de 5% seja garantido. Os deputados aprovaram alta de 16,67% para os aposentados que ganham acima do mínimo na medida provisória que determina reajuste para o salário mínimo. A alta vale para os 8,3 milhões benefícios maiores que o salário mínimo.

Com o veto do governo ao reajuste, os aposentados terão de aguardar a votação da MP 291, trata do reajuste de 5% e da concessão de benefícios. A medida, no entanto, já recebeu emenda que prevê aumento de 16,67%.

O presidente do Sindicato dos Aposentados da Força Sindical, João Inocenttini, tem um encontro amanhã com o deputado Nilson Mourão (PT-AC), relator da MP 291, para tentar convencê-lo a mudar o relatório. Os sindicalistas querem evitar que, com o veto à emenda, o reajuste fique reduzido à reposição da inflação do período, de 3,14%.

O governo informou que não tem previsão orçamentária para garantir o aumento de 16,67%. O Ministério da Previdência calcula que a decisão custaria R$ 7 bilhões. O dinheiro não está previsto no Orçamento de 2006.

Além da alta de 5% e da antecipação do reajuste de maio para abril, o pacote de "bondades" concedido pelo governo aos aposentados inclui o subsídio de até 90% em remédios para hipertensão e diabetes, a antecipação de metade do 13º salário de dezembro para setembro, a regulamentação total do Estatuto do Idoso (que pode garantir gratuidade nas passagens de ônibus interestaduais) e a formação de uma comissão para discutir a recuperação das perdas do benefício.

"O Congresso está com imagem muito ruim, por isso quer aprovar esse aumento para ganhar o nosso voto. Outra parte está usando os aposentados para desgastar o governo. Ano de eleição tem dessas coisas. No ano que vem, quando não tiver eleição, todos vão votar o que o governo indicar", disse o presidente do Sindicato dos Aposentados da Força Sindical, João Inocenttini.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)