Cassilândia, Sexta-feira, 20 de Janeiro de 2017

Últimas Notícias

10/07/2006 13:51

Aposentados pressionam Câmara para reajuste de 5%


Os sindicatos dos aposentados e pensionistas tentam, mais uma vez, um acordo com os deputados para que o reajuste de 16,67% não seja aprovado e o acordo de 5% seja garantido. Os deputados aprovaram alta de 16,67% para os aposentados que ganham acima do mínimo na medida provisória que determina reajuste para o salário mínimo. A alta vale para os 8,3 milhões benefícios maiores que o salário mínimo.

Com o veto do governo ao reajuste, os aposentados terão de aguardar a votação da MP 291, trata do reajuste de 5% e da concessão de benefícios. A medida, no entanto, já recebeu emenda que prevê aumento de 16,67%.

O presidente do Sindicato dos Aposentados da Força Sindical, João Inocenttini, tem um encontro amanhã com o deputado Nilson Mourão (PT-AC), relator da MP 291, para tentar convencê-lo a mudar o relatório. Os sindicalistas querem evitar que, com o veto à emenda, o reajuste fique reduzido à reposição da inflação do período, de 3,14%.

O governo informou que não tem previsão orçamentária para garantir o aumento de 16,67%. O Ministério da Previdência calcula que a decisão custaria R$ 7 bilhões. O dinheiro não está previsto no Orçamento de 2006.

Além da alta de 5% e da antecipação do reajuste de maio para abril, o pacote de "bondades" concedido pelo governo aos aposentados inclui o subsídio de até 90% em remédios para hipertensão e diabetes, a antecipação de metade do 13º salário de dezembro para setembro, a regulamentação total do Estatuto do Idoso (que pode garantir gratuidade nas passagens de ônibus interestaduais) e a formação de uma comissão para discutir a recuperação das perdas do benefício.

"O Congresso está com imagem muito ruim, por isso quer aprovar esse aumento para ganhar o nosso voto. Outra parte está usando os aposentados para desgastar o governo. Ano de eleição tem dessas coisas. No ano que vem, quando não tiver eleição, todos vão votar o que o governo indicar", disse o presidente do Sindicato dos Aposentados da Força Sindical, João Inocenttini.


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 20 de Janeiro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 19 de Janeiro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)