Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

27/10/2013 10:15

Após confusão na Câmara, pastor defende direito de vereadores opinarem sobre gay

Midiamax/ Vicenzzo Vicchiatti

Após a polêmica causada pelo discurso do vereador Paulo Pedra (PDT) na sessão da Câmara Municipal de Campo Grande na última quinta-feira (24), quando afirmou que “não existe uma família de evangélico que não tenha um homossexual” e depois mudou para “toda a família brasileira, se não tem, vai ter um dia algum homossexual”, lideranças religiosas se mobilizam para apoiar a bancada evangélica.

Segundo o pastor batista Carlos Osmar Trapp, a situação é fruto das recentes mudanças de comportamento, que estariam constrangendo quem tem opinião diferente dos ativistas da causa gay. "Os vereadores têm o direito de viver segundo aquilo que sua crença orienta. Mesmo na Câmara, todos têm o direito de expressar sua fé", argumenta.

“Ultimamente não podemos dar a nossa opinião sobre essa questão. Ou ficamos quietos ou acabamos sendo rotulados como homofóbicos. O fato é que o homossexualismo é algo pervertido e temos que abrir nossos olhos sobre o que essa prática realmente é”, declara o pastor.

Ele defende o direito dos evangélicos de declararem a opinião com relação à opção dos homossexuais. "A vida está na dualidade do sexo, o relacionamento entre macho e fêmea e a relação entre pessoas do mesmo sexo é uma relação estéril, nociva à saúde, contra a vida, contra a perpetuação da espécie e uma afronta ao projeto de Deus", diz.

“Além de ser contra a vida, principalmente o relacionamento entre homens é nocivo à saúde. Ao introduzir o órgão genital masculino no órgão que é responsável por expelir os dejetos humanos, o risco de contrair doenças e afetar o organismo do ser humano é muito grande”, afirma.

Trapp ainda afirma que existe preconceito de homossexuais e simpatizantes ao conceito milenar dos cristãos que é contrário ao homossexualismo. Além disso, define o homossexualismo como uma escolha da pessoa e discorda de quem diz que uma pessoa nasce homossexual.

Carlos ressaltou que, como pastor, ele é contrário à prática do homossexualismo, mas não contra as pessoas e também disse que se um homossexual o procurasse 'pedindo ajuda', ele estenderia a mão e ajudaria essa pessoa.

Toda a confusão aconteceu devido à votação da moção de congratulação para Carlos Gabriel, vencedor do concurso “Mister Diversidade 2013”. Mesmo com a polêmica, a votação foi aprovada com 14 votos favoráveis. Os vereadores Flávio César (PT do B), Juliana Zorzo (PSC), Elizeu Dionizio (SDD), Alceu Bueno (PSL), Gilmar da Cruz (PRB) e Coringa (PSD) votaram contra.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)