Cassilândia, Quinta-feira, 18 de Abril de 2019

Últimas Notícias

29/08/2018 13:30

Após 7 anos, cliente que comeu biscoito com inseto receberá R$ 10 mil

Justiça entendeu que a marca ofereceu à venda alimento inapropriado para ser consumido, sem garantir qualidade

Campo Grande News

Uma cliente será indenizada por danos morais, sete anos depois de adquirir um biscoito com inseto. A empresa alimentícia terá de pagar o valor de R$ 10 mil, corrigidos monetariamente desde a data da compra do produto. A sentença proferida na 12ª Vara Cível de Campo Grande julgou parcialmente procedente a ação movida pela consumidora.

A consumidora relata que comprou o biscoito em janeiro de 2011, devidamente, lacrado e dentro da validade. No entanto, ao consumir o produto, enquanto alimentava sua filha de um ano de idade, percebeu que dentro de uma das bolachas havia um inseto.

Por outro lado, a empresa argumentou que possui os melhores e mais avançados procedimentos de elaboração e industrialização de seus produtos, de forma que a chance de contaminação industrial é nula. Alegou que a contaminação não ocorreu durante o processo produtivo, mas sim durante o transporte e armazenamento sem observância das orientações, sendo a culpa exclusiva de terceiros.

O juiz Atílio César de Oliveira Jr. fez uma análise sobre reparação de danos. "Na esteira das responsabilidades previstas no Código de Defesa do Consumidor (artigos 12 a 25), a hipótese dos autos se trata de responsabilidade objetiva, isto é, baseada na teoria do risco, respondendo o agente pela reparação de danos independentemente de culpa, em razão do risco da atividade desenvolvida".

Ele salienta ainda que a consumidora provou, por meio de imagens, a presença de inseto no produto consumido. "Tal produto foi submetido a perícia, cujo laudo foi acostado, em que se pode constatar, novamente, a mancha preta descrita na certidão supracitada, que, posteriormente, constatou-se tratar de uma formiga de aproximadamente um centímetro. A constatação de se tratar de um inseto também restou clara diante das imagens, em que foram identificadas patas e antenas".

No entender de Atílio, é certo que a empresa ofereceu à venda alimento inapropriado para ser consumido, sem observância do seu dever de garantir a qualidade e segurança do produto, o que, por certo, configurando ato ilícito indenizável.

"Assim, é evidente que houve violação do direito básico do consumidor à incolumidade dos produtos que adquire, tendo a conduta da empresa afetado, além da segurança e qualidade, que razoavelmente se espera do alimento, a confiança que rege as relações de consumo", conclui o juiz.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 18 de Abril de 2019
Quarta, 17 de Abril de 2019
10:00
Receita do dia
Terça, 16 de Abril de 2019
10:04
Cassilândia/Paranaiba/Aparecida/Inocência/Chapadão
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)