Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

02/03/2007 15:36

Após 33 anos, Rigo descobre que era servidor no RS

Graciliano Rocha/Campo Grande News

Quase 33 anos após deixar o cargo de engenheiro agrônomo na secretaria de Agricultura gaúcha, o deputado estadual Ary Rigo (PDT) descobriu que ainda fazia parte do quadro de servidores do Rio Grande do Sul.

O pedetista é o atual primeiro-secretário da Assembléia Legislativa, está no sexto mandato como deputado estadual e já foi vice-governador.

O emprego e a demissão fazem parte de uma requintada história de capricho da burocracia do serviço público que só veio à tona por acaso, quando o deputado – que completou 60 anos em novembro –resolveu contar o tempo de serviço para a aposentadoria. Quando recebeu a averbação (termo técnico para a contagem), Rigo descobriu que nunca foi demitido pelo governo gaúcho.

Rigo começou a trabalhar na secretaria de Agricultura do RS como técnico agrícola em 1964; cinco anos depois, assumiu o cargo de engenheiro agrônomo na mesma pasta. Em 1972, Rigo decidiu pedir afastamento de suas funções por dois anos sem remuneração para tentar a sorte no então sul de Mato Grosso. Acabou ficando e nunca mais voltou para o emprego público no Sul. Só que o governo gaúcho esqueceu de exonerá-lo em 1974, quando venceu a licença não remunerada e ele deveria se reapresentar ao posto. Ele diz não ter recebido o salário no período.

“Nunca recebi, também não trabalhava”, contou o deputado.

A exoneração só saiu no Diário Oficial do RS no último dia 15, retroativa a 1º de março de 1974.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)