Cassilândia, Terça-feira, 21 de Maio de 2019

Últimas Notícias

01/02/2019 10:30

Após 'sumiço' de quatro anos, gabinete de número 24 reaparece no Senado

Correio do Estado

Após um sumiço de quatro anos, a numeração 24 voltou a aparecer em um gabinete do Senado. O local será ocupado pelo ex-deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que toma posse no Senado nesta sexta-feira (1º).

Há quatro anos o Senado abrigava a manifestação implícita de preconceito contra homossexuais. A numeração exposta nas portas dos gabinetes começava no 1 e seguia a sequência numérica lógica até chegar ao 23. Daí, sem explicação, pulava para o 25.

A plaquinha de número 24 -que por ser o número associado ao veado no jogo do bicho é usado há décadas como muleta para manifestações discriminatórias contra homossexuais- havia sumido entre o final de 2014 e o início de 2015.

Funcionários do novo gabinete afirmaram que a plaquinha 24 voltou há alguns dias, pouco depois de a Folha de S.Paulo publicar reportagem contando a história, mas disseram não saber de quem partiu a decisão.

O Senado diz não ter nenhum registro oficial sobre o porquê de o número haver sido suprimido.

O gabinete de número 24 foi usado até 2014 pelo senador Eduardo Amorim (PSDB-SE). Após ele ter trocado para outro, naquele ano, assumiu a vaga o senador Dário Berger (MDB-SC), 62, de cujo gabinete partiu o pedido de mudança da numeração, do 24 para o 26 (o gabinete fica no lado par do corredor).
Berger não quis se manifestar sobre o assunto quando a Folha de S.Paulo o procurou para saber os motivos do pedido de 2014.

O Senado também não se manifestou, oficialmente, mas o presidente da Casa, Eunício Oliveira (MDB-CE), que encerra seu mandato nesta sexta, se disse surpreso com o sumiço do número 24.

"Eu, sinceramente, não encontro justificativa para que a numeração não seja seguida. Nem o Senado nem ninguém pode dar guarida a qualquer tipo de discriminação, contra quem quer que seja", afirmou, na ocasião.

Presidente da Casa à época da retirada da placa, Renan Calheiros (MDB-AL) também disse que "nunca" soube da troca, afirmando que esse tipo de coisa não é assunto que chegue à cúpula da Casa.

"Pelo amor de Deus, jamais essa discussão chegou no Senado. Eu não sou preconceituoso, não", disse Renan, que é candidato a presidir novamente a Casa no biênio 2019-2020.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 21 de Maio de 2019
10:00
Receita do Dia
Segunda, 20 de Maio de 2019
10:00
Receita do Dia
08:46
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)