Cassilândia, Sábado, 24 de Junho de 2017

Últimas Notícias

13/11/2013 10:31

Apesar da "pressão", ainda existe adolescente que não tem perfil no Facebook

Campo Grande News

A adolescente Marcella Ventorim, de 15 anos, não vai curtir, compartilhar e nem ao menos ser marcada pelos amigos no Facebook com o que o Lado B conta hoje. Há seis meses ela decidiu trocar os posts no mundo virtual pelas páginas dos livros. Depois de um ano com perfil ativo, a estudante contabilizou que as horas online não eram tão curtidas como compartilhar o tempo com os personagens das séries preferidas. Por vontade própria ela excluiu o perfil da rede.

“Eu ficava muito na internet e ao mesmo tempo queria ler as minhas séries. Resultado, ficava até de madrugada lendo e no outro dia acordava muito cansada. Quando vi minhas notas baixando e a possibilidade de ficar de recuperação, perder viagens e chatear os meus pais, não tive duvidas, cortei o mal pela raiz”, classifica.

Como tudo hoje é registrado no Facebook, ela traçou um plano B para não ficar assim, totalmente alheia, nos assuntos dos amigos. Manteve a conta no Instagram, aplicativo que do próprio celular, ela adiciona fotos, interage, mas sem deixar que as janelas do chat a prendam na rede o dia todo.

“Sentia falta do ‘face’ nos primeiros dias, mas com a melhora das notas e a moral que ganhei lá em casa, vi que tinha feito a escolha certa”, comentou.

Em meio aos livros, o único perfil que ela ainda sustenta é o Instagram, rede que não inclui chats e nem conversas.Em meio aos livros, o único perfil que ela ainda sustenta é o Instagram, rede que não inclui chats e nem conversas.

Por enquanto ela não planeja voltar a ativa, mas admite que a ferramenta é bacana para quem sabe usar com moderação. “Vejo minha mãe encontrar e conversar com amigas de infância, se emocionar com fotos antigas que elas postam, mas, ao mesmo tempo vejo colegas minhas que passam o dia, preocupadas em postar algo interessante e de repente se prestar a algumas coisas que não deveriam, só para parecer legal. Isso eu não quero pra mim então, acho que não é hora de voltar pra rede”.

O estudante Lucas Brito de Souza, 17 anos, é outro que entrou para o grupo dos sem redes sociais. Ele até chegou a ter perfil no Facebook, mas só para jogar com o irmão. Não chegou a adicionar amigos, fazer postagens e mal publicava no mural.

“Não tenho nem vontade, tenho preguiça de fazer. Acho perda de tempo”, justifica. O resultado é que quando alguém pergunta como ele está nas redes sociais e ouve a resposta, a reação é de saltar os olhos. “Você não tem? Todo mundo tem”, fala o que escuta com frequência.

Sem fazer falta alguma, o que hoje lhe causa incômodo é ver que na roda de amigos, o celular está mais presente do que o diálogo real. “Eu não gosto de gente mexendo no celular, acho desrespeitoso”.

Agora, só o motivo de morar fora justificaria a presença do adolescente João Mauad Cavallero Filho, de 16 anos, no Facebook. Extinto das redes sociais, o garoto só possui Whats App e há pouco tempo, para facilitar as conversas e evitar gastos.

Perfil ele teve, mas quando o Orkut ainda era popular. No entanto, antes da ferramenta cair em desuso, João procurou manter o ciclo de amigos fora do mundo virtual. "Eu não curto e não preciso disso. Contato eu tenho o visual, mas isso de ficar postando a vida para um monte de gente que nem conheço, não faz meu estilo", explica.

Questionado se o fato não gera reações de quem o ouve, João mostra que não se abate para o que os outros pensam. "As pessoas se espantam, mas a gente vive para a gente e não para os outros, é esse o meu entendimento", resume.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 24 de Junho de 2017
Sexta, 23 de Junho de 2017
Quinta, 22 de Junho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)