Cassilândia, Sábado, 24 de Junho de 2017

Últimas Notícias

05/10/2016 09:20

Apenas 16 de 38 prefeitos conseguiram a reeleição no MS; rejeição de 57,8%

Campo Grande News

Dos 38 prefeitos que tentaram a reeleição em 2016 em Mato Grosso do Sul, 22 não conseguiram um novo mandato - ou seja, 57,8% deles não terão a oportunidade de seguir na chefia do Executivo municipal e apenas 16 seguem no posto. Além de Campo Grande, o fato ocorreu em importantes cidades do Interior, como Ponta Porã e Corumbá.

Em alguns casos, os eleitos foram candidatos que já exerceram o cargo de prefeito em outras oportunidades, como é o caso de Rio Brilhante e Fátima do Sul. Houve também seis casos em que o atual vice-prefeito concorreu a prefeito. Entretanto, em apenas um deles o vice conseguiu vencer o pleito e assumir a chefia máxima municipal.

Nos municípios em que haviam três ou mais candidatos e um deles tentava reeleição, caso da Capital e outras 11 cidades, em quatro delas o atual prefeito nem sequer na segunda posição ficou, conseguindo apenas a terceira posição.

A situação foi vista em Campo Grande - onde haviam 15 candidatos - com Alcides Bernal (PP); em Ponta Porã com Ludimar Novais (PDT), que foi último dos três prefeitáveis; em Alcinópolis, que teve quatro postulantes à prefeitura, com Ildomar Carneiro (PMDB); e em Bela Vista, onde Douglas Gomes (PP) foi o terceiro de cinco candidatos.

Nas 21 cidades do Interior em que a população decidiu trocar de prefeito, em 10 haviam apenas dois candidatos, enquanto que em seis foram três os postulantes ao cargo. Em três municípios haviam quatro prefeitáveis e nas duas restantes, eram cinco candidatos a prefeito no período entre 2017 e 2020.

Partidos - Nas 22 cidades que não reelegeram o atual prefeito, o partido que sofreu o maior número de reveses é justamente o "campeão" de eleitos, o PSDB. Ao todo, foram sete prefeitos que não conseguiram se reeleger, seguido pelo PDT, PMDB e PP, com cinco, quatro e dois. PT, PSB, PSD e PR tem um não reeleito, cada.

Outro contraponto do PSDB é no número de vitórias contra candidatos à reeleição. Os tucanos conseguiram assumir nessas condições o Executivo de nove municípios do Estado (e ainda disputa o segundo turno em Campo Grande), número muito a frente dos quatro do PMDB, três do DEM e dois do PR. Além destes, PSB, PDT e PSL conseguiram um prefeito.

Velhos conhecidos - Já velhos conhecidos conseguiram retornar à prefeitura batendo os atuais prefeitos nas urnas, como é o caso de Edson Takazono, o Edinho (PMDB), que vai exercer seu quarto mandato em Anaurilândia.

Em Fátima do Sul, a ex-prefeita Ilda Machado (PR), mulher do ex-presidente da Assembleia Legislativa, Londres Machado (PR), e mãe da deputada estadual Grazielle Machado (PR), foi escolhida no lugar de Junior Vasconcelos (PSDB) com 51,67% da preferência do eleitorado local.

Outro caso emblemático é o da cidade de Rio Brilhante, onde Donato Lopes (PSDB) bateu Sidney Foroni (PMDB) com 50,82% da preferência. Corumbá, Água Clara, Paranhos, Nova Alvorada do Sul e Itaporã também escolheram ex-prefeitos.

Em Jardim, Erney Cunha (PT) perdeu a disputa para o novato Guilherme Monteiro (PSDB), mas que carrega consigo o eleitorado do pai, o secretário estadual Márcio Monteiro. Em Ponta Porã, Helio Peluffo Filho já traz no nome também as memórias do pai, o ex-prefeito Helio Peluffo. Há ainda casos de ex-secretários municipais eleitos, como em Jaraguari.

Rejeitados e aprovados - Seguindo em Ponta Porã, lá foi visto a maior desaprovação do Estado. O atual prefeito Ludimar Novais (PDT) foi o último dos três candidatos, com apenas 9,73% dos votos, ficando atrás de Chico Gimenez (PMDB), que teve 29,60%, e de Peluffo, com 60,67%.

Em Naviraí, foi vista a segunda maior rejeição para o atual prefeito e a segunda maior votação para o eleito. Léo Matos (PSD) recebeu apenas 23,84% na disputa contra José Izauri de Macedo (DEM), que teve 76,16% dos votos.

À frente de Izauri ficou apenas Waldeli Rosa (PR), que somou 76,57% da preferência do eleitorado de Costa Rica. Por coincidência, Waldeli também disputava a reeleição, mas não sofreu os mesmos problemas dos colegas de Executivo.

Outros prefeitos que tiveram baixíssima votação foram Douglas Gomes (PP), com 26,39% em Bela Vista, Ildomar Carneiro (PMDB), com 26,53% em Alcinópolis. Nestas cidades, houveram cinco e quatro candidatos, respectivamente. Em Nioaque, Paranhos e Itaporã, os eleitos tiveram mais de 60% dos votos.

Curiosidades - Em Sidrolândia, onde haviam quatro prefeitáveis, aconteceu um dos casos mais curiosos dessas eleições. Lá, o atual prefeito, Ari Basso (PSDB), somou 42,92% dos votos, mas foi derrotado pelo seu atual vice, Marcelo Ascoli (PSL), com 50,19% do eleitorado a seu favor. Assim, ele foi o único vice do Estado a vencer o pleito domingo (2).

Outro situação inusitada foi a queda do presidente do Assomasul, Juvenal Neto (PSDB), de Nova Alvorada do Sul, que tinha como vice Erney Cunha, derrotado em Jardim. A dupla, em 2015, foi eleita em chapa única, causando alvoroço principalmente entre petistas, que acusaram Erney e outros prefeitos de traição ao se aliarem ao tucanato.

Apesar de reclamações públicas, inclusive do deputado federal Zeca do PT, o então presidente do diretório petista regional, Paulo Duarte, afirmou que a situação não era cabível de expulsão. No domingo, acabou que nem Juvenal, nem Erney, assim como Duarte, que saiu do PT e foi para o PDT, conseguiram se reeleger.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 24 de Junho de 2017
Sexta, 23 de Junho de 2017
Quinta, 22 de Junho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)