Cassilândia, Quinta-feira, 23 de Março de 2017

Últimas Notícias

30/03/2005 16:26

Anvisa intensifica controle à Doença de Chagas

Anvisa

Em decorrência do grave surto de Doença de Chagas Aguda ocorrido no estado de Santa Catarina a partir da suspeita de transmissão por caldo de cana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informa que está acompanhando os trabalhos de investigação desenvolvidos pelo órgão de vigilância sanitária estadual, visando a avaliar a situação e a propor medidas de controle de âmbito nacional:

1. A Gerência-Geral de Sangue, Outros Tecidos, Células e Órgãos – GGSTO/Anvisa e a Coordenação da Política Nacional de Sangue e Hemoderivados - DAE/SAS/Ministério da Saúde, objetivando o controle de risco de contaminação através de transfusão sangüínea, considera:

* A relevância da transmissão sanguínea desse agravo;
* O espectro do quadro clínico que pode variar desde formas inaparentes a quadros com manifestações graves;
* O período de latência para a detecção de anticorpos que pode ser de até 60 dias;
* A possibilidade de visitantes de outros municípios e/ou estados terem sido expostos à fonte de infecção; e
* A necessidade de adotar medidas de prevenção e controle no âmbito dos serviços de hemoterapia;

2. A Anvisa e o Ministério da Saúde alertam e recomendam aos órgãos de Vigilância Sanitária estaduais e municipais e aos Serviços de Hemoterapia de sua área de abrangência, particularmente os que realizam coleta de sangue, para que incluam no procedimento de triagem clínica:

* A identificação de candidatos com histórico de consumo de caldo de cana na área de possível contaminação do produto, no estado de Santa Catarina, no período considerado para exposição (01/02 a 23/03/2005), considerando-os inaptos para doação;
* Encaminhamento dos indivíduos sob suspeita de contaminação aos serviços de referência para avaliação clínica e laboratorial.
* Notificação dos casos suspeitos ao órgão de Vigilância Epidemiológica local.

3. Considerando a gravidade da doença e a alta letalidade apresentada, os serviços de vigilância sanitária dos estados e dos municípios deverão, em caráter emergencial, avaliar, dentro de sua área de atuação, os eventuais riscos e propor as medidas necessárias;

* Essas medidas devem, no mínimo, contemplar os seguintes aspectos:
o Verificar se, no local, existe a prática de processamento (extração) e consumo de caldo de cana;
o Avaliar as condições higiênicas desse processamento, em especial, a limpeza e o enxágüe da cana de açúcar com água limpa;
o Verificar a presença de tela que impeça a entrada de insetos no local de processamento;
* Caso não sejam atendidas as condições acima especificadas devem ser adotadas, de forma cautelar, a suspensão do processamento e a comercialização do caldo de cana;
* As boas práticas para serviços de alimentação – determinadas pela Resolução - RDC nº 216/2004 serão exigidas dos estabelecimentos passíveis de fiscalização e inspeção;


4. A Anvisa, em conjunto com a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequena Empresas (Sebrae), dará suporte técnico-financeiro para atender as adequações necessárias e garantir a produção e comercialização do caldo de cana em condições higiênico-sanitárias satisfatórias.

Maiores informações sobre o surto de Doenças de Chagas: http://www.saude.sc.gov.br
Nota Técnica - Doença de Chagas Aguda relacionada à ingestão de caldo de cana em Santa Catarina (PDF)

As Informações são da Agência Saúde
Assessoria de Imprensa da Anvisa

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 23 de Março de 2017
Quarta, 22 de Março de 2017
21:53
Cassilândia
20:41
Loteria
Terça, 21 de Março de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)