Cassilândia, Segunda-feira, 24 de Julho de 2017

Últimas Notícias

08/01/2007 17:43

André diz ainda não ter definição sobre salário

Maristela Brunetto e Humberto Marques/Campo Grande News

O governador André Puccinelli (PMDB) concedeu entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira para reafirmar que ainda não tem uma definição sobre o pagamento do salário de dezembro do funcionalismo público. Ele já começou a ser pressionado por categorias e disse que só dá garantia do depósito da primeira folha referente ao seu governo, a ser paga até o quinto dia útil de fevereiro.

Puccinelli já foi pressionado por servidores do Judiciário e disse que paga parte da folha entre os dias 10 e 11. A cobrança veio ainda da Defensoria Pública, Assembléia Legislativa, Ministério Público. Sobre o pessoal do Executivo, “estão aguardando”, resumiu.

Após falar com a imprensa, Puccinelli seguiu para a Secretaria de Fazenda discutir o atraso salarial do MP com a procuradora de Justiça Irma Anzoategui. A conversa com o representante do Judiciário, o presidente do TJ Claudionor Abss Duarte, já ocorreu.

A folha de pessoal do Estado é de cerca de R$ 80 milhões, conforme valores repassados pela gestão anterior. Não ficou caixa para os salários, contrariando a Lei de Responsabilidade Fiscal, apesar de na reta final o governo Zeca do PT ter liberado R$ 116 milhões a um seleto grupo de credores e fornecedores. Além do funcionalismo, 80 mil famílias beneficiárias de programas sociais vivem a indefinição quanto aos recursos no cofre do estado.

Puccinelli não revelou haver uma fórmula definida para quitar a folha de janeiro. Pode haver parcelamento, negociação, sugeriu. Ele afirma tem como prioridade pagar a dívida com a União, com parcelas vencidas em R$ 46 milhões, incluindo multa de R$ 1,7 milhão por atraso no repasse, a fim de evitar bloqueio nas contas público, como chegou a ocorrer na semana passada.

Auditorias - Na entrevista, Puccinelli voltou a falar ainda sobre auditorias nos órgãos públicos, tarefa delegada à Procuradoria Geral do Estado. Nesta segunda-feira, saíram decretos determinando devassa na Fertel, fundação que administra a Rádio e TV Educativas, e na Agiosul, o órgão que produz o Diário Oficial. O governador disse que cobrou que a PGE concentre seu pessoal nessa tarefa em todas as pastas porque sentiu “o sapato apertado no calo do dedo”.

Ao falar sobre contas herdadas, Puccinelli comentou pedidos de intervenção contra o Estado pelo não pagamento de precatórios ainda referentes ao ano de 2005.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 24 de Julho de 2017
10:00
Receita do dia
Domingo, 23 de Julho de 2017
08:00
Receita do dia
Sábado, 22 de Julho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)