Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

27/11/2006 20:31

André confirma ex-ministro, Marun e Yonamine no governo

Humberto Marques e Paulo Fernandes/Campo Grande News

Em uma só tacada, o governador eleito de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), confirmou hoje mais três cargos em seu primeiro escalão: além de afirmar que o ex-ministro convidado para assumir a Secretaria Extraordinária de Representação de Mato Grosso do Sul de Assuntos Nacionais e Internacionais aceitou o cargo, o peemedebista disse que conseguiu demover Carlos Marun (PMDB) de assumir vaga na Assembléia Legislativa e deixá-lo no comando do setor de Habitação de seu governo. Além disso, ele confirmou o nome de Sérgio Yonamine na supersecretaria que congregará setores como meio ambiente, planejamento, cidades, ciência e tecnologia.

Puccinelli voltou a dizer que o nome do ex-ministro só será confirmado no dia 1º de janeiro. Porém, confirmou que o futuro secretário sul-mato-grossense está em uma lista de quatro nomes: Ovídio de Angelis, Pedro Parente, Marcus Tavares e Pedro Malan – sendo que Puccinelli lembrou que este último nome vem sendo “ventilado” pela imprensa.

Todos ocuparam cargo em uma das administrações de Fernando Henrique Cardoso (PSDB) na Presidência, coincidindo com o momento em que Puccinelli administrou Campo Grande. O futuro governador manteve o ar de mistério, dizendo que nem sua mulher (Beth Puccinelli) sabe quem é o escolhido. A Secretaria de Representação terá o objetivo de trabalhar os interesses do Estado em duas frentes, com escritórios em Brasília e São Paulo/SP.

O segundo nome confirmado na noite de hoje abre caminho para que a deputada Celina Jallad (PMDB) permaneça na Assembléia Legislativa. Para a próxima legislatura, a parlamentar conquistou a primeira suplência de sua coligação, ocupando a vaga de Carlos Marun, que após a diplomação deve assumir o setor habitacional da administração estadual. Por tabela, Puccinelli coloca mais lenha na fogueira da sucessão do Palácio Guaicurus, uma vez que considera a deputada “um bom nome para presidir a Assembléia”.

Sem entrar em detalhes sobre a sucessão da Mesa Diretora da Casa, André Puccinelli apenas defendeu que “a priori” a presidência da Assembléia ficará nas mãos do PMDB, por ser o partido de maior bancada. “Pode ser outro, mas não é obrigatório”, comentou. Os peemedebistas ocuparão sete cadeiras na Casa de Leis a partir de 2007: além de Celina Jallad, a bancada contará com Ari Artuzzi, Akira Otsubo, Jerson Domingos, Junior Mochi, Youssif Domingos e Marcos Trad.

Coringa – O terceiro cargo confirmado por Puccinelli trata de sua medida mais controversa até o momento. A Secretraria de Cidades, Meio Ambiente, Planejamento e Ciência e Tecnologia será gerida por Sérgio Yonamine, um nome que já passou por diversas cadeiras da prefeitura de Campo Grande.

Ex-secretário de Meio Ambiente e Controle Urbanístico, ex-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano e interventor da administração municipal na Águas Guariroba em 2003 (no auge da crise da empresa), onde permaneceu como “observador” até 2005, Yonamine terá pela frente o desafio de desvencilhar as críticas sobre a pasta, alvo de ambientalistas sobre o “inchaço” de atribuições e dissolução da Sema. “Eles [os ambientalistas] nem viram e já criticam. Eles vão ter uma surpresa, pois vai ser o encontro do desenvolvimento sustentável”, disse Puccinelli, em defesa de seu projeto.

Outras pequenas nuances já devem ser apresentadas amanhã (28) aos deputados estaduais, durante reunião para discutir o projeto de reforma administrativa. Puccinelli defende, por exemplo, a fusão da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) e da Agenfa (Agência Fazendária de Mato Grosso do Sul), para reduzir trâmites burocráticos, em especial para os produtores rurais.

Em suma, a proposta visa reduzir de 15 para 11 o total de secretarias (além da Secretaria Extraordinária), reduzindo as unidades administrativas (unidades, fundações, agências e afins) de 49 para 45. Também já é ponto comum que o governador cortará 30% dos cerca de dois mil cargos comissionados existentes, faltando, ainda, uma posição sobre o funcionamento da máquina administrativa em tempo integral, contra as atuais seis horas de atendimento.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)