Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

05/04/2004 16:51

Amorim garante que Brasil cumpre obrigações

Alana Gandra/Agência Brasil

O Brasil está cumprindo rigorosamente com suas obrigações internacionais, tanto as que contraiu no acordo com a Argentina, quanto as assumidas depois, no acordo com a Agência Atômica de Viena.

A garantia foi dada pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, em resposta ao jornal americano Washington Post. De acordo com o jornal, o país estaria impedindo inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica à usina de beneficiamento de urânio de Resende, no estado do Rio de Janeiro.

Amorim esclareceu que o modo de realizar essas inspeções é sempre negociado. "O país tem procurado encontrar a maneira que, ao mesmo tempo assegure que a nossa utilização de energia nuclear é totalmente para fins pacíficos e garanta a possibilidade de termos tecnologia própria nesse setor, que é tão importante economicamente, e não há razão para que o Brasil fique fora dele" afirmou.

Ele reafirmou que o Brasil nunca colocou obstáculos às inspeções, apenas negocia a forma como isso será feito. Ele ressaltou que o país tem de proteger a tecnologia que desenvolve. Amorim disse que evitaria aprofundar sua avaliação, porque os procedimentos para a inspeção ainda não foram discutidos pelo governo. O ministro lembrou que o acordo do Brasil com a Argentina já previa salvaguardas de energia atômica abrangente com a Agência Atômica.

Amorim discordou da maneira como a reportagem foi escrita e a atribuiu a interesses de alguns organismos norte-americanos, como organizações não-governamentais, a acusação feita ao Brasil. Sobre a insinuação feita pelo ex-negociador nuclear dos Estados Unidos, James E. Goodby, de que “é preciso aplicar as mesmas regras para adversários e amigos”, comparando o Brasil ao Irã e à Coréia do Norte, inimigos declarados dos norte-americanos, Amorim limitou-se a afirmar: “Deus nos livre”.

O ministro informou que nunca o governo brasileiro recebeu qualquer manifestação direta dos Estados Unidos, que leve a tratar a questão do enriquecimento de urânio como um impasse diplomático. Para ele, "há interesses de terceiros na reportagem do Post".

Amorim esclareceu que o interesse do Brasil não é construir dinamite por exemplo, mas deter tecnologia para fins de energia. “Ninguém tem dúvidas de que o nosso uso de energia nuclear é para fins pacíficos e mais do que isso, para produção de energia”, afirmou.

De acordo com Amorim, provavelmente ainda hoje o Ministério das Relações Exteriores divulga nota com a resposta brasileira à acusação do jornal norte-americano. O ministro fez as afirmações na Câmara de Comércio Americana do Rio.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)