Cassilândia, Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2018

Últimas Notícias

13/06/2018 18:00

Amor e corrida: passadas para a vida toda

Ativo.com

Quando nos exercitamos, muitas substâncias são liberadas no organismo sem percebermos. O mesmo se aplica à química do amor, ao nos apaixonarmos. E se misturarmos corrida e amor? Eis um casamento perfeito de hormônios juntos e misturados – endorfina, serotonina, adrenalina, oxitocina -, que transforma a vida a dois para melhor.

A edição 178 da Revista O2 foi atrás do resultado dessa química magnífica e descobriu que a corrida é o elemento secreto que ajudou a dar liga em diversas relações apaixonantes.

Acompanhe a história de José Mora e Simon Gamboa, um casal de venezuelanos que não se separa nem na linha de chegada!

José Gerardo Mora, 37 anos, e Simon Antonio Gamboa, de 33, são venezuelanos, moram no Brasil há nove anos e estão juntos há uma década. Conheceram-se no trabalho, mas demoraram dois anos para engatar o namoro. “Lembro que nos encontramos para uma reunião de projeto e o Simon me trouxe balas. Achei fofo, mas ainda estava ‘no armário’ e não entendi se era só uma gentileza ou se tinha outras intenções”, conta José.

Simon afirma que as balinhas tinham segundas intenções e que se apaixonou pelo sorriso de José. A trabalho, viajaram para o México com uma equipe, mas ainda como amigos. Para curtir a cidade, os dois combinaram de estender a viagem por um fim de semana.

Dividiram o quarto e cada um ficou na sua. Até que saíram para beber. “Entre uma cerveja e outra, ficamos. Saímos do armário no meio do barzinho. O álcool catalisou a vontade e voltamos para a Venezuela quase namorando”, relembra Simon.

A corrida viria logo depois, para unir ainda mais a dupla. Simon corria e já havia assumido sua homossexualidade para amigos próximos e a família. José, não. A empresa em que eles trabalham é apoiadora de muitas corridas de rua, o que incentivava José a participar para prestigiar os eventos. Decidiram, então, fazer uma prova juntos de 10 km, cada um no seu ritmo. Na linha de chegada, perceberam que a corrida oferecia um ambiente de desafios individuais, mas que poderiam ser eles mesmos e evoluir juntos, livres de preconceitos.

Foi Simon quem fez José correr por prazer. “A comunidade LGBT sofre muito preconceito nos esportes. São muito machistas, agressivos e quem parece ser gay é deixado de fora. Na corrida isso não acontece: é o esporte mais inclusivo, democrático e maravilhoso do mundo, você é seu próprio desafio. Correr fez eu me apaixonar pelo estilo de vida do esporte. Hoje pedalamos e também planejamos nadar juntos”, diz Simon.

“O esporte nos desafia a ser melhores, por nós mesmos. E hoje tenho uma dupla para ir comigo. Nós sempre vamos juntos. Ao Unicórnios, grupo de corrida de São Paulo, vamos duas vezes por semana”, conta José.

Para Simon, uma das lembranças mais bonitas que teve com a corrida foi no Brasil, no Campo de Marte, em São Paulo, quando os dois correram juntos. “Eu fiz em um ritmo mais lento, mas José estava dando tudo de si, tudo mesmo. Quase me xingando”, diz.

Para Simon, o que mais importava era ter uma experiência memorável com o companheiro, chegarem juntos e de mãos dadas. E foi exatamente isso que aconteceu. José chegou quase chorando, mas até hoje foi um dos melhores tempos que já fez. Hoje, eles estão levando os treinos mais a sério — querem se preparar para uma futura maratona juntos. Corrida e amor andam lado a lado na vida do casal.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 10 de Dezembro de 2018
10:00
Receita do dia
Domingo, 09 de Dezembro de 2018
09:00
Santo do dia
Sábado, 08 de Dezembro de 2018
Sexta, 07 de Dezembro de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)