Cassilândia, Quinta-feira, 29 de Junho de 2017

Últimas Notícias

22/03/2005 09:18

Ambiental: Polícia Federal quer leis mais fortes

Eduardo Mamcasz /ABr

O novo chefe da Divisão de Repressão a Crimes Ambientais da Polícia Federal, delegado Paulo Tarso, afirmou que a legislação brasileira em vigor não trata esse tipo de crime "da forma como deveria", ao não disponibilizar ferramentas e instrumentos "tanto para quem fiscaliza quanto para quem tem de combatê-lo". A afirmação foi feita no documentário "Amazônia - terra cobiçada", que está sendo veiculado pelas rádios Nacional da Amazônia e de Brasília.

O delegado explicou que a Divisão contra Crimes Ambientais na Polícia Federal foi criada porque a demanda estava muito grande. Acrescentou que o crescimento desse tipo de crime ocorre em razão "do grande retorno financeiro que ele rende aos infratores". Na Amazônia, afirmou o delegado, existe uma "atuação organizada de grupos", principalmente na área de animais silvestres.

O chefe da repressão ao crime ambiental da PF informou que os contrabandistas chegam a levar até "partes de animais silvestres como, por exemplo, dentes de uma onça". Há muitos casos ainda de artesanato indígena exportado ilegalmente, penas de arara, de mutum e de peixes ornamentais. De acordo com o delegado, "eles pescam em grande quantidade e levam como se fosse para consumo, mas na verdade são ornamentais."

A questão da madeira ilegal também preocupa a Polícia Federal e segundo Paulo Tarso, na Amazônia é importante a cooperação e a troca de informações sobre os criminosos que estão atuando nessa área, entre "as embaixadas e os adidos policiais". Como exemplo, ele citou a ida de uma comitiva oficial do governo brasileiro, no dia 4 de abril, a Lima, no Peru, para tratar da invasão dos madeireiros peruanos ao lado brasileiro.

"Esses madeireiros peruanos estão ligados aos madeireiros asiáticos e há até um conflito na região, envolvendo os indígenas da etnia Ashaninka, que têm uma parte no lado do Brasil e a outra no lado do Peru, onde foi devastada grande área e agora eles estão invadindo o lado brasileiro", disse Paulo Tarso

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 29 de Junho de 2017
Quarta, 28 de Junho de 2017
10:00
Receita do Dia
Terça, 27 de Junho de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)