Cassilândia, Terça-feira, 06 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

19/06/2008 16:55

Alterações no Código de Processo Penal

A Lei nº 11.689, de 9 de junho de 2008, altera dispositivos do Código de Processo Penal Brasileiro. Entre as mudanças, está a determinação de que a instrução dos processos da competência do Tribunal do Júri seja feita somente em uma audiência. Segundo a Juíza Vânia de Paula Arantes, titular da Comarca de Miranda, condensar o procedimento agilizará o trâmite processual. De acordo com o procedimento anterior, realizava-se uma audiência para o interrogatório do acusado e, decorrido o prazo para a apresentação de defesa prévia, designava-se nova audiência para ouvir testemunhas de acusação e mais uma outra audiência para oitiva das testemunhas de defesa.

Agora o procedimento será condensado em uma única audiência de instrução, em que, se possível, será ouvido o ofendido em declarações, será tomado o depoimento das testemunhas arroladas pela acusação e pela defesa e haverá os esclarecimentos dos peritos, as acareações e o reconhecimento de pessoas e coisas, interrogando-se, em seguida, o acusado, abrindo-se, por fim, oportunidade às partes para os debates orais, pelo prazo de 20 (vinte) minutos, prorrogáveis por mais 10 (dez).

O artigo 4º da Lei nº 11.689, de 9 de junho de 2008, revogou o Capítulo IV do Título II do Livro III do Código de Processo Penal, em que estavam previstos um recurso privativo da defesa e o Protesto por Novo Júri, que poderia ser utilizado pelos condenados à pena igual ou superior a 20 anos de reclusão.

Outra inovação legislativa foi a simplificação das perguntas feitas aos jurados. O objetivo dessa medida é diminuir a possibilidade de recursos de anulação do julgamento e eliminar as dificuldades dos jurados de responder a perguntas técnicas.

As modificações introduzidas pela Lei nº 11.689/2008 entram em vigor 60 dias após a sua publicação.

A Câmara dos Deputados aprovou, mas ainda depende de sanção presidencial, o Projeto de Lei que autoriza a utilização de tornozeleiras eletrônicas para rastreamento dos detentos que cumprem pena em regime semi-aberto.

Um outro Projeto de Lei aprovado pelo Plenário da Câmara, pendente de sanção presidencial, é o que tipifica o crime de seqüestro relâmpago, atribuindo penas mais rígidas para a extorsão, se for cometida com restrição da liberdade da vítima - ou se resultar em lesão corporal grave ou em morte. De acordo com o projeto, caso a extorsão seja cometida mediante seqüestro com duração de menos de 24 horas, a pena será de 10 a 17 anos de prisão. A pena aumenta em um sexto se a vítima for menor de 18 anos, ou se o crime for cometido por uma quadrilha. Caso haja lesão corporal ou morte, a punição aumenta e a pena passa a ser de 28 a 30 anos de prisão.

Quando o Código Penal em vigor foi criado, não existiam caixa eletrônicos. Assim, crimes como o seqüestro relâmpago não estavam previstos em lei. Para a condenação, utilizavam-se recursos alternativos. Alguns juízes identificavam o crime como roubo, enquanto outros consideram extorsão. Agora, pretende-se criar um tipo penal para enquadrar o seqüestro relâmpago, deixando claro que há uma conduta própria.





TJ/MS

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
21:32
Loteria
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)