Cassilândia, Terça-feira, 25 de Junho de 2019

Últimas Notícias

14/03/2015 07:29

Alta do dólar faz com que movimento em hotéis e bares da fronteira caia em 50%

Midiamax

Com o dólar disparado o ano já começou com acentuada queda no movimento econômico na região de fronteira de Mato Grosso do Sul com Paraguai, com retração de 50% em serviços como de alimentação e hotelaria. A expectativa é de que nos próximos dois meses a situação se agrave ainda mais atingindo também as vendas do varejo, especialmente se entrar em vigor em 1º de julho a redução de US$ 300,00 para US$ 150,00 da cota de compras internacionais isenta de taxação.

“O comércio ainda não sentiu os impactos do dólar porque em novembro e neste começo do ano o guarani também teve uma forte valorização e muitos dos clientes são do Paraguai. Porém, empresas grandes do Paraguai já estão dando férias coletivas, enxugando os quadros de funcionários, propondo redução de jornada e salários pela metade, para reduzir custos. Em um ou dois meses esta retração já chegará ao nosso comércio”, explica o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Ponta Porã, Amauri Ozório Nunes. O dólar fechou na última quinta-feira (12) a R$ 3,16, a maior cotação desde junho de 2004.

"Uma situação que a possível redução da cota de compras só deve agravar, uma vez que grande parte dos consumidores do comércio sul-mato-grossense localizado na fronteira são os paraguaios", pondera o presidente da Fecomércio-MS, Edison Araújo.

Amauri explica que bares e restaurantes já amargam queda de 50% no movimento desde o início do ano com a escalada do dólar. “Acredito que os hotéis acompanham este mesmo ritmo”. Diante deste cenário, as entidades que representam o comércio da região de fronteira se mobilizam em torno do pleito para alinhamento em US$ 500,00 como é a cota de quem viaja de avião. Hoje, por exemplo, quem faz compras em Miami (EUA) pode gastar 66% a mais em compras, embora não se reflita na economia do Brasil, diferente do que ocorre com os países fronteiriços, como é o Paraguai.

No dia 17 de março, o comércio paraguaio irá cerrar as portas de 9h às 11h para chamar a atenção das autoridades para o pleito de aumentar a cota.

A medida que prevê a redução da cota para viajantes que ingressarem no Brasil por meio terrestre, fluvial ou lacustre é justificada pela renúncia fiscal com a criação de lojas francas em fronteiras.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 25 de Junho de 2019
Segunda, 24 de Junho de 2019
Domingo, 23 de Junho de 2019
10:00
Receita do Dia
09:00
Santo do Dia
Sábado, 22 de Junho de 2019
16:02
Cassilândia
12:30
Copa do Mundo de Futebol Feminina
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)