Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

14/04/2010 19:51

Aliados do governo ainda sem definição sobre reajuste dos aposentados

Iolando Lourenço,Agência Brasil

Brasília - O índice de reajuste para os aposentados e pensionistas que recebem mais de um salário mínimo continua sem definição entre líderes e parlamentares da base aliada do governo na Câmara e no Senado. Uns defendem a elevação do reajuste dos atuais 6,14% para 7,7%, enquanto outros não aceitam o percentual e alegam que o máximo que o governo pode pagar é 7%, sob o argumento de que não há caixa para bancar um reajuste maior que esse.

Eles se reuniram esta tarde para tentar um entendimento sobre o reajuste, mas não houve qualquer avanço nas negociações. Os senadores que participaram da reunião e alguns deputados da base que defendem os 7,7% saíram do encontro com a mesma disposição de aprovar esse índice de reajuste.

O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), que também é o relator da Medida Provisória 475, que reajustou os benefícios a partir de primeiro de janeiro deste ano em 6,14%, tentou convencer os deputados e senadores da base governista que o governo não tem condições de conceder o reajuste de 7,7%. “Nós demos o maior reajuste do mundo para os aposentados em 2010”, disse.

“Nós não podemos passar desse limite (7%). Qualquer proposta que passar desse limite não terá sustentação econômica e nem financeira e não tem sustentação no Orçamento”, disse Vaccarezza, ao lembrar que qualquer índice acima dos 7% deverá ser vetado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Vaccarezza disse que 7% é “um aumento robusto e positivo”. O líder disse que a intenção é votar a medida provisória no dia 27 deste mês.

O senador Paulo Paim (PT-RS) disse que é importante que o reajuste seja de 7,7%. “A ordem é convencer o Vaccarezza para aprovar os 7,7% e dialogar com o presidente Lula para sensibilizá-lo a sancionar este percentual. A mesma posição é defendida pelo deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), presidente da Força Sindical, que também insiste no reajuste de 7,7%.



Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)