Cassilândia, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

24/02/2012 18:38

Alcinópolis: Pistoleiro é condenado a 19 anos e contratante a 18 por morte de vereador

Fabiano Arruda e Nadyenka Castro, Campo Grande News

O juiz Aluízio Pereira dos Santos, da 2ª Vara do Tribunal do Júri, anunciou, há pouco, que Ireneu Maciel, autor da execução do então presidente da Câmara Municipal de Alcinópolis, Carlos Antônio da Costa Carneiro, morto em 26 de outubro de 2010, em Campo Grande, foi condenado a 19 anos de prisão, enquanto Valdemir Vansan, acusado de ser contratante do assassinato, recebeu pena de 18 anos.

Eles foram considerados culpados pelos jurados, que reconheceram a acusação de motivo torpe, por conta da recompensa, e recurso que dificultou a defesa da vítima, neste caso, a surpresa.

O júri ainda excluiu a tese da defesa, que, no caso do pistoleiro, alegou privilégio relevante valor moral, por conta de se sentir ofendido, além do pedido de exclusão de motivo torpe e da absolvição de Valdemir.

Na prática, a pena base foi fixada em 20 anos para a dupla, entretanto, para Irineu, houve a redução por conta da confissão. “Bastava ele negar no momento do flagrante para criar embaraço nas investigações\", explicou o juiz, mencionando que, no dia do crime, o autor confessou o crime aos policiais no momento da prisão.

Durante o julgamento nesta sexta, a acusação enalteceu o fato de policiais passarem pelo local no momento do crime e que haviam documentos que provavam um dossiê contra Carlos Antônio no caso da vítima. Sem isto, eles consideraram que as investigações seriam dificultadas.

Em relação a Valdemir, a redução da pena ocorre por conta do acidente envolvendo viatura da Polícia Civil, um dia após o assassinato, no cruzamento das avenidas Afonso Pena e Ernesto Geisel. Segundo o juiz, a capotagem com o veículo, em princípio ”ocorrido por imprudência de policiais que o conduziam e causaram sequelas graves e irreversíveis na perna esquerda\" de Vansan.

O magistrado ainda destacou que a dupla não tinha antecedentes criminais, até o caso transitado em julgado, e que os réus atraíram a vítima sobre o pretexto de encontrar o vereador a fim de discutir sobre um laticínio em Alcinópolis.

O juiz ainda reforçou que o crime ocorreu “em plena luz do dia e em via pública com movimento” e que a vítima não provocou nem colaborou para a morte.

Julgamento - Durante mais de nove horas de julgamento hoje, a linha dos depoimentos dos réus foi a de que o crime não foi a mando, ou seja, não houve recompensa, além de alegarem que sofreram tortura. Ireneu afirmou que foi humilhado por Carlos Antônio e que agiu por vingança, enquanto Valdemir garantiu que não contratou o crime.

A acusação, feita pelo promotor Douglas dos Santos e o advogado Ricardo Trad, destacou o assassinato feito por encomenda e com motivação política. Além disso, considerou a informação de que Irineu sofreu humilhação foi um álibi para justificar o assassinato.

“A história contada aqui é uma verdadeira fábula, com criatividade de uma criança e malícia das mais inconfessáveis. Tudo foi montado para salvar o mandante. Ninguém aqui está preocupado com o Irineu Maciel”, afirmou o promotor.

“O ponto aqui hoje é o maior escândalo político de Mato Grosso do Sul. Um prefeito mandou matar o presidente da Câmara em conluio com os vereadores”, complementou.

Já a defesa dos réus, por sua vez, encabeçada pelo advogado José Roberto Rodrigues da Rosa, manteve o foco em inocentar Vansan. Conforme ele, Valdemir é inocente, pois não \"existe uma prova, uma circunstância, que alguém viu este homem (aponta para o Valdemir) em contato com Alcinópolis\", discursou.

Ele também sinalizou que o acidente envolvendo uma viatura da Polícia Civil, um dia após o crime, ocorreu para encobertar as denúncias de que Ireneu e Valdemir sofreram tortura. Eles eram transportados pelo veículo e ficaram feridos após capotagem no cruzamento das avenidas Afonso Pena e Ernesto Geisel.

“Será que o acidente foi fatalidade?”, questionou. “Será que não foi para encobertar?”, prosseguiu.

O caso - O vereador Carlos Antônio da Costa Carneiro foi morto em próximo ao Hotel Vale Verde. Ireneu foi preso em flagrante por policiais civis que passavam no local logo após o crime.

Ele foi levado ao local da execução na garupa da moto de Aparecido Souza Fernandes, que também foi preso, mas recorre para não ir a julgamento. A família sempre apontou o caso como um crime político.

Em julho do ano passado, foram presos três vereadores e o prefeito de Alcinópolis. Todos já estão em liberdade, mas o prefeito foi afastado e a prefeitura está sob o comando de Alcino Carneiro, que era vice.

Réus - Conforme a denúncia, Irineu e Valdemir agiram por motivo torpe, diante da promessa de receber recompensa, e utilizaram recurso que dificultou a defesa da vítima.

Ainda na delegacia, Irineu disse que receberia R$ 20 mil, sendo R$ 3 mil adiantados, pelo crime e que o revólver calibre 38 lhe foi entregue pelo cunhado. O acerto era para “fazer uma pessoa”, cujo nome foi repassado por Valdemir.

Em interrogatório diante do juiz, Irineu deu uma nova versão para o crime. De acordo com ele, o motivo foi vingança porque o vereador o teria humilhado. O pistoleiro também afirmou ser dono da arma utilizada na execução.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)