Cassilândia, Terça-feira, 17 de Setembro de 2019

Últimas Notícias

26/01/2005 08:24

Alcides Silva: Língua portuguesa, inculta e bela

Alcides Silva/ O Jornal de Santa Fé do Sul

Os verbos da modéstia

Tem-se visto, com muita freqüência, o emprego do verbo ‘gostar’ e outros de sentido semelhante, no futuro do pretérito, utilizado em situações que indicam ser do presente do indicativo. E isso ocorre geralmente em frases que expressam um pedido, uma solicitação ou uma súplica: “Gostaria de convidar V.S. para as solenidades....”; “Apreciaria contar com sua presença...”; “Pretenderia fazer umas considerações iniciais...”; “Pediria um minuto de silêncio”; “Solicitaria a atenção de todos os presentes”.
Nas situações acima, o sujeito do verbo está realizando a ação (‘convido V.S.’, ‘conto com sua presença’, ‘faço umas considerações iniciais’, ‘peço um minuto de silêncio’, ‘solicito a atenção’).
O tempo verbal é o presente do indicativo.
Qual a razão, então, do uso do futuro do pretérito?
Com esses verbos ocorre o mesmo fenômeno que se dá com certos pronomes que são empregados no plural. embora enunciem o singular: “Nós, disse o prefeito, faremos essa obra” (O ‘nós’ dessa frase, equivale a ‘eu’), os denominados plurais de modéstia.
Nessas circunstâncias, tanto o verbo como o pronome apresentam um sentido de sobriedade, uma ausência de vaidade, de aparente ‘inferioridade’ da pessoa que fala com relação à pessoa com quem se fala. Enfim, uma situação de modéstia. E são empregados para evitar o tom impositivo ou ordenatório ou, ainda, a qualidade muito pessoal do que se está dizendo.
Se ao invés de escrever ‘Gostaria que os senhores viessem ainda hoje efetuar o pagamento da dívida”, eu usasse a forma imperativa e dominadora de “Quero que os senhores venham ainda hoje efetuar o pagamento da dívida”, por certo não obteria o mesmo resultado no relacionamento humano. Na primeira frase estou solicitando polidamente; na segunda, ordenando peremptoriamente.
O que ocorre com o verbo “gostar”, que no futuro do pretérito adquire uma conotação de súplica, também acontece com “pedir”, “solicitar”, “implorar”, “apreciar” e outros verbos rogativos.
O uso do futuro do pretérito com o sentido de presente do indicativo tem de ser moderado, sob pena de pedantismo. Como pedante também é o emprego exagerado do plural de modéstia. Tudo bem regrado, porque “a elegância oca, a afetação retórica, a exuberância léxica, o fraseado bonito mais falseiam a expressão das idéias do que contribuem para a sua fidedignidade”, explica o prof. Othon Garcia, em “Comunicação em prosa moderna”. Aliás, “virtus in medius”, diziam os romanos no alvorecer da civilização.
E há quase um século, um dos maiores filólogos brasileiro, Said Ali, escrevia que “deve ter sido um deus o que inventou a divina arte de escrever. Os gênios por ele inspirados fundam e criam a linguagem literária, o falar culto, aquele que serve de modelo à posteridade, modificado com o progredir dos tempos, com o desenvolvimento intelectual e material de uma nação, mas a mesma linguagem na essência.”
Importante lembrar que não é errado quando o sujeito nós for um plural de modéstia, ficar o predicativo no singular, como se o sujeito fosse o pronome “eu”: “Ficamos admirado por sua coragem” (“Fiquei admirado por sua coragem”) – “Estamos convencido de sua lealdade” (“Estou convencido de sua lealdade”).

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 16 de Setembro de 2019
Domingo, 15 de Setembro de 2019
10:00
Receita do Dia
09:00
Santo do Dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)