Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

12/09/2004 07:59

Alcides Silva: Língua portuguesa, inculta e bela!

Alcides Silva

Amar é verbo transitivo...
Semana passada começamos a falar que o verbo amar é transitivo direto, isto é, exige um objeto direto. Quem ama, ama alguma coisa. Os pronomes pessoais oblíquos o, a, os, as substituem os objetos diretos. Assim: Amo-o (se for homem) – Amo-a (se for mulher). Ou amo você (tanto para homem e mulher). E ainda Amo-te (Eu te amo, se o tratamento for na segunda pessoa).
“Não a encontrei na praça e preciso vê-la urgentemente, eis que devo apresentá-la a quem poderá ajudá-la nos próximos vestibulares. “Os verbos encontrar, ver, apresentar e ajudar são verbos transitivos direitos e a transitividade (regência o verbo) é que determina se o objeto será direto ou indireto.
Jamais poderemos dizer “Vou apresentar-lhes a um amigo” quando esse pronome oblíquo referir-se à pessoa com quem estamos falando. O verbo apresentar é transitivo direito e indireto, isto é, exige objeto direito e objeto indireto. Assim o correto é “Vou apresentá-lo (= você, objeto direto) a um amigo (objeto indireito). Note que o objeto indireito é sempre preposicionado, isto é, exige uma preposição ligando o objeto ao verbo.
Caso especiais (não de televisão) existem em que o objeto direito é preposicionado. Exemplifiquei em “Pontos de Português para o Curso Normal”, obra publicada em 1958, quando ainda professor do Instituto de Educação “Ernesto Monte”, em Bauru:
“Um verbo transitivo pode ser empregado com preposição:
1- para indicar parte: Não comerei do pão;
2- para evitar ambigüidade: O pai ama ao filho;
3- para efeito de ênfase: Amemos a Deus;
4- quando o objeto direito for pleonástico: “Desceram-no a ele da elefanta” (Camões);
5- quando a expressão amar equivaler a querer bem: Ele ama ao irmão mais que a todos;
quando o objeto direito for um verbo no infinito: Você deve de falar a verdade” (op. cit, p.80).
Disse um entrevistado em programa de televisão: “Íamos em cinco no carro quando o pneu estourou”. Erradíssimo.
Não se emprega a preposição em nessa expressão porque o verbo concorda com o sujeito oculta nós: Nós cinco íamos no carro quando o pneu estourou. Assim também em éramos seus irmãos.
A preposição em tem emprego na indicação de:
lugar: Moramos em Cassilândia;
estado: Pintura feita em parede nova;
tempo: Viagem feita em três horas;
quantidade: Livro dividido em dez, capítulos;
mudança de estado: Água em estado gasoso


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)