Cassilândia, Quarta-feira, 29 de Março de 2017

Últimas Notícias

12/09/2004 07:59

Alcides Silva: Língua portuguesa, inculta e bela!

Alcides Silva

Amar é verbo transitivo...
Semana passada começamos a falar que o verbo amar é transitivo direto, isto é, exige um objeto direto. Quem ama, ama alguma coisa. Os pronomes pessoais oblíquos o, a, os, as substituem os objetos diretos. Assim: Amo-o (se for homem) – Amo-a (se for mulher). Ou amo você (tanto para homem e mulher). E ainda Amo-te (Eu te amo, se o tratamento for na segunda pessoa).
“Não a encontrei na praça e preciso vê-la urgentemente, eis que devo apresentá-la a quem poderá ajudá-la nos próximos vestibulares. “Os verbos encontrar, ver, apresentar e ajudar são verbos transitivos direitos e a transitividade (regência o verbo) é que determina se o objeto será direto ou indireto.
Jamais poderemos dizer “Vou apresentar-lhes a um amigo” quando esse pronome oblíquo referir-se à pessoa com quem estamos falando. O verbo apresentar é transitivo direito e indireto, isto é, exige objeto direito e objeto indireto. Assim o correto é “Vou apresentá-lo (= você, objeto direto) a um amigo (objeto indireito). Note que o objeto indireito é sempre preposicionado, isto é, exige uma preposição ligando o objeto ao verbo.
Caso especiais (não de televisão) existem em que o objeto direito é preposicionado. Exemplifiquei em “Pontos de Português para o Curso Normal”, obra publicada em 1958, quando ainda professor do Instituto de Educação “Ernesto Monte”, em Bauru:
“Um verbo transitivo pode ser empregado com preposição:
1- para indicar parte: Não comerei do pão;
2- para evitar ambigüidade: O pai ama ao filho;
3- para efeito de ênfase: Amemos a Deus;
4- quando o objeto direito for pleonástico: “Desceram-no a ele da elefanta” (Camões);
5- quando a expressão amar equivaler a querer bem: Ele ama ao irmão mais que a todos;
quando o objeto direito for um verbo no infinito: Você deve de falar a verdade” (op. cit, p.80).
Disse um entrevistado em programa de televisão: “Íamos em cinco no carro quando o pneu estourou”. Erradíssimo.
Não se emprega a preposição em nessa expressão porque o verbo concorda com o sujeito oculta nós: Nós cinco íamos no carro quando o pneu estourou. Assim também em éramos seus irmãos.
A preposição em tem emprego na indicação de:
lugar: Moramos em Cassilândia;
estado: Pintura feita em parede nova;
tempo: Viagem feita em três horas;
quantidade: Livro dividido em dez, capítulos;
mudança de estado: Água em estado gasoso


Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 28 de Março de 2017
21:41
Loteria
06:10
Loterias
Segunda, 27 de Março de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)