Cassilândia, Sábado, 10 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

04/08/2011 16:52

Alcides Silva: Língua portuguesa, inculta e bela!

Alcides Silva

Aliteração

De um poema de Wanda Cristina, poetisa maranhense, colhi estes versos: “Eu quero dançar contigo / dentro da poesia, / como dança o povo dentro do Estado. / Eu quero rebolar contigo em cada rima, /como rebola o povo dentro do salário. / Eu escolho uma aliteração / para a nossa vida: filhos, felicidade, família, feijão, farinha... / como o povo, em fé, / faz folia, forra a fome com futebol e fantasia.”.
Aliteração é um recurso que consiste na repetição intencional de consoantes ou de grupos de consoantes para produção de efeito sonoro estético: \"E o céu da Grécia, torvo, carregado, rápido o raio rútilo retalha\" (Raimundo Correia), ou como em \"Vozes veladas, veludosas vozes, / Volúpia dos violões, vozes veladas, / Vagam nos velhos vórtices velozes/ Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas\" (fragmento de “Violões que choram”, de Cruz e Souza).
Em métrica, o verso aliterativo é uma forma que usa aliteração como principal método de estruturação para unificar linhas de poesia, ao contrário de outros métodos como a rima tradicional. Em um sentido amplo, a própria aliteração pode ser considerada uma rima. “Com seu colar de coral, / Carolina / corre por entre as colunas da colina./ O colar de Carolina /colore o colo de cal,/torna corada a menina./ E o sol, vendo aquela cor / do colar de Carolina, / põe coroas de coral / nas colunas da colina.” (Cecília Meireles: “Colar de Carolina”).
Já escrevi nesta coluna que Chico Buarque é bom cantor, excelente músico e melhor poeta. Em “Pedro Pedreiro”, por exemplo, ele burila palavras com sons semelhantes. Em muitos, isso é defeito, pecado de estilo. Em Chico, é a navegação poética pela aliteração: “Pedro Pedreiro penseiro esperando o trem/ Manhã parece, carece de esperar também”.
Em Chico, artista - e dos melhores -, a aliteração tem uma parecença sonora agradável, como em João Gilberto a dissonância sempre é melódica, musical. Mas Chico e Gilberto são gênios. Vá um de nós, pobres mortais, meter-se em busca de tons diferentes e o máximo que conseguiríamos seria uma reunião desafinada de sons que causaria impressão desagradável aos nossos próprios ouvidos.
Assim também no uso diário da língua. Se nos faltar ‘engenho e arte’, a repetição de sons pode trazer desarmonia e discordância à frase, defeitos que enfeiam o texto. A isso chamamos de dissonância.
No estudo da língua, a dissonância pode acontecer no eco, no hiato e na colisão, todos, vícios de linguagem, que devem ser evitados.
O eco aparece com o emprego de palavras próximas com terminações iguais ou semelhantes: No soflagrante, o declarante, ofegante, se dizia participante como volante de importante equipe de vigilantes. - A flor tem odor e cor do brejo. - Era cedo quando o Alfredo tomou o brinquedo das mãos do Pedro.
No exemplo de Chico Buarque, o terceiro verso da abertura da canção, é um ‘eco’ perfeito: “Para o bem de quem tem bem de quem não tem vintém”.
O hiato é a seqüência ininterrupta de vogais: Ou eu ando ou eu ouço. - A crise chegou ao auge. - Vou à aula.
A colisão é a sucessão desagradável de consonâncias idênticas: O rato roeu a roupa do rei romano. Pedro Pereira, pintor potiguar, pinta paisagens paulistas. No verso de Chico Buarque, a repetição de consonâncias idênticas é eufônica, não fosse ele um mestre. Traz o sentido de expectativa, ou como já dito, da inutilidade da espera.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 10 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)