Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

01/02/2008 08:27

Alcides Silva: Língua Portuguesa, inculta e bela!

Alcides Silva

Otário e a foca

Numa das estrofes de “Mano a mano”, belíssimo tango de 1919, cantado na época por Carlos Gardel, e, depois, por todos os milongueiros e boêmios abaritonados que o sucederam, inclusive os das madrugadas de minha longínqua juventude, o desiludido amado clamava: “Nada debo agradecerte / mano a mano hemos quedado, / no me importa lo que has hecho, / lo que hacés ni lo que harás. / Los favores recibidos / creo habértelos pagado / y si alguna deuda, chica, / sim querer se me há olvidado, / em la cuenta del otario / que tenés se la cargás” (ao se despedir da mulher de ‘casa de pensión’, - a quem tudo dera e o trocara por outro -, o apaixonado traído diz nada ter a pagar ou a receber da pérfida; porém se alguma dívida pequena, que ele houvesse esquecido, ainda aparecesse, que ela a levasse ao seu novo ‘coronel’, ao ‘otário’, que, por certo, a pagaria).
Originariamente, ‘otário’, na gíria do bas-fonds portenho, era o endinheirado que, ‘amigado’ de uma ‘dama’ da zona licenciosa da cidade, considerava-se o ‘único’. Por extensão, passou a significar o lerdaço, o vagaroso, o boboca, a vítima do ‘suadouro’, que o ‘Aurélio, Século XXI’ define como ‘modalidade de conto-do-vigário que consiste em uma meretriz levar o cliente a determinado lugar, para ali roubá-lo, sozinha ou com ajuda de sequazes’.
O “Dicionário de Gíria”, de J. B. Serra e Gurgel, 7ª edição, de 2005, informa que otário é uma pessoa tola, palerma, inexperiente; o ‘Houaiss’ emprega o termo para designar o inexperiente, o ingênuo; para o ‘Michaelis’, é o sujeito que facilmente se deixa enganar; Cid Franco, em seu essencialíssimo ‘Dicionário de Expressões Populares Brasileiras’, dá-lhe a sinonímia de “bobo, paspalhão, tonto, pacóvio, ingênuo”.
Tudo isso, em razão de um tipo de foca – a foca falsa - que possui pavilhões auditivos externos, um animal pesadão, vagaroso e de poucos reflexos: palermão. É muito comum nas costas argentinas e nos mares do sul, onde é conhecido pelo nome ‘otária’, para ser mais preciso, de ‘otaria byronia’, nome científico que lhe deu o cientista François Perón, derivando-o do grego otós (orelha).
Otárion significa orelha pequena, característica que diferencia aquele animal da foca verdadeira, pois esta não tem o tal de ‘pavilhão auditivo’.
No jargão das redações de jornais, foca é o repórter aprendiz, o calouro no trabalho, o jornalista novo que não ainda conhece os macetes da profissão. Na gíria carioca, é a mulher exageradamente gorda. Na linguagem popular, foca significa também o indivíduo avarento, mão-de-vaca.
De otós derivam, dentre outros, os vernáculos otologia (ramo da medicina que se ocupa das doenças dos ouvidos em todos os seus aspectos), otopatia (qualquer doença do ouvido), otalgia (dor de ouvidos), otite (inflamação do ouvido), otologista, médico especialista no tratamento de doenças do ouvido. Geralmente essa especialidade médica vem associada a outras – nariz e garganta – daí o profissional ser conhecido como otorrinolaringologista.
Todavia, apesar do étimo grego, portanto, das orelhas, no conceito atual, o otário é um indivíduo surdo a todas evidências de que está sendo passado para trás, inclusive à auto-voz de sua própria consciência.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)