Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

20/05/2013 06:50

Aguarda-se solução para o caso do senador

Renata Giraldi, Agência Brasil

Brasília – Às vésperas de completar um ano abrigado na Embaixada do Brasil em La Paz, o senador boliviano Roger Pinto Molina, de 53 anos, vê sua situação praticamente inalterada. Em 28 de maio de 2012, ele recorreu ao governo brasileiro para pedir asilo político. O parlamentar teve o pedido atendido pelas autoridades brasileiras, mas o governo do presidente boliviano, Evo Morales, não concedeu o salvo-conduto para que ele deixe o país.

Sem autorização para deixar a Bolívia, Pinto Molina permanece abrigado na embaixada, sem previsão de quando deixará o local. O Ministério das Relações Exteriores informou à Agência Brasil que a permanência de Pinto Molina na embaixada segue as normas internacionais que regulamentam a concessão de asilo político e do direito diplomático.

No mês passado, Pinto Molina comemorou o aniversário de 53 anos na embaixada. Por motivos de segurança, segundo as autoridades brasileiras, ele pode receber apenas os parentes mais próximos, os advogados e se necessário, profissionais da área de saúde.

O senador argumenta que sofre perseguições políticas por parte do governo Morales, por isso quer deixar o país. As autoridades bolivianas alegam que Pinto Molina responde a uma série de ações judiciais que levantam suspeitas sobre a atuação dele no campo político.

Pinto Molina aguarda uma definição, no mesmo momento em que 12 brasileiros permanecem detidos em Oruro, depois da morte de Kevin Espada, de 14, durante jogo do Corinthians com o San José. O adolescente morreu vítima de um sinalizador lançado por torcedores.

O Itamaraty diz, porém, que é necessário manter discussões distintas sobre os casos do senador e dos torcedores do Corinthians. Em abril, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, participou de uma audiência pública no Senado e os parlamentares insistiram em associar o caso do senador ao dos torcedores brasileiros. O chanceler reiterou que “não havia vantagens” em tratar dos assuntos de maneira conjunta.

Edição: Graça Adjuto

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)