Cassilândia, Quarta-feira, 26 de Abril de 2017

Últimas Notícias

10/03/2005 15:08

Agricultura orgânica brasileira tem a segunda maior área

Famasul Noticías

Revisão nos critérios de classificação tirou o Brasil do 34º lugar

O Brasil já tem a segunda maior área de produção de agricultura orgânica do mundo, com 6,5 milhões de hectares, atrás apenas da Austrália. A constatação foi feita por meio de levantamento realizado entre janeiro e fevereiro deste ano pela Coordenação de Agroecologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Até 2004 o país ocupava o 34º lugar na classificação dos maiores produtores mundiais de orgânicos. O salto no ranking foi impulsionado pela inclusão do extrativismo sustentável no cálculo da área da agricultura orgânica brasileira. Dos 6,5 milhões de hectares da agricultura orgânica, o país tem 5,7 milhões de hectares ocupados pelo extrativismo sustentável (castanha, açaí, pupunha, látex, frutas e outras espécies das matas tropicais, principalmente da Amazônia). Outros países já incluíam o extrativismo e as pastagens no cálculo da área do setor. O Brasil tem ainda cerca de 900 mil hectares plantados com outras culturas orgânicas. Para o chefe da Divisão de Certificação e Controle do Mapa, Roberto Mattar, a ascensão no ranking internacional de orgânicos representa maior visibilidade, respeito e oportunidades para o Brasil. Ainda segundo as estimativas da Coordenação de Agroecologia, o país tem cerca de 20 mil produtores de orgânicos – a maioria agricultores familiares. Abacaxi, banana, café, mel, leite, carnes, soja, palmito, açúcar, frango e hortaliças são alguns dos principais produtos da agricultura orgânica brasileira. Pesquisas têm comprovado que os alimentos orgânicos são mais seguros porque são produzidos sem o uso de agroquímicos. Além de saudáveis, eles também passaram a ser um bom negócio nos últimos anos. Dados da Biofach 2005 (maior feira de produtos orgânicos do mundo), realizada em Nuremberg, Alemanha, no mês passado, confirmam isso. De acordo com a Agência de Promoções das Exportações do Brasil (Apex), a Biofach 2005 movimentou US$ 31,4 milhões, valor duas vezes maior do que o negociado na edição de 2004. Escolhido como tema da Biofach 2005, o Brasil levou 87 empresas produtoras de orgânicos ao evento. Para estimular a agricultura orgânica o Ministério da Agricultura criou a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Agricultura Orgânica em março do ano passado, além de promover um processo participativo de regulamentação da Lei de Agricultura Orgânica (Lei 10.831), onde o Brasil trabalha o conceito de equivalência com as normas internacionais para a atividade.

Autor:
Ministério da Agricultura

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 26 de Abril de 2017
Terça, 25 de Abril de 2017
Segunda, 24 de Abril de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)