Cassilândia, Segunda-feira, 05 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

10/03/2005 15:08

Agricultura orgânica brasileira tem a segunda maior área

Famasul Noticías

Revisão nos critérios de classificação tirou o Brasil do 34º lugar

O Brasil já tem a segunda maior área de produção de agricultura orgânica do mundo, com 6,5 milhões de hectares, atrás apenas da Austrália. A constatação foi feita por meio de levantamento realizado entre janeiro e fevereiro deste ano pela Coordenação de Agroecologia do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Até 2004 o país ocupava o 34º lugar na classificação dos maiores produtores mundiais de orgânicos. O salto no ranking foi impulsionado pela inclusão do extrativismo sustentável no cálculo da área da agricultura orgânica brasileira. Dos 6,5 milhões de hectares da agricultura orgânica, o país tem 5,7 milhões de hectares ocupados pelo extrativismo sustentável (castanha, açaí, pupunha, látex, frutas e outras espécies das matas tropicais, principalmente da Amazônia). Outros países já incluíam o extrativismo e as pastagens no cálculo da área do setor. O Brasil tem ainda cerca de 900 mil hectares plantados com outras culturas orgânicas. Para o chefe da Divisão de Certificação e Controle do Mapa, Roberto Mattar, a ascensão no ranking internacional de orgânicos representa maior visibilidade, respeito e oportunidades para o Brasil. Ainda segundo as estimativas da Coordenação de Agroecologia, o país tem cerca de 20 mil produtores de orgânicos – a maioria agricultores familiares. Abacaxi, banana, café, mel, leite, carnes, soja, palmito, açúcar, frango e hortaliças são alguns dos principais produtos da agricultura orgânica brasileira. Pesquisas têm comprovado que os alimentos orgânicos são mais seguros porque são produzidos sem o uso de agroquímicos. Além de saudáveis, eles também passaram a ser um bom negócio nos últimos anos. Dados da Biofach 2005 (maior feira de produtos orgânicos do mundo), realizada em Nuremberg, Alemanha, no mês passado, confirmam isso. De acordo com a Agência de Promoções das Exportações do Brasil (Apex), a Biofach 2005 movimentou US$ 31,4 milhões, valor duas vezes maior do que o negociado na edição de 2004. Escolhido como tema da Biofach 2005, o Brasil levou 87 empresas produtoras de orgânicos ao evento. Para estimular a agricultura orgânica o Ministério da Agricultura criou a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Agricultura Orgânica em março do ano passado, além de promover um processo participativo de regulamentação da Lei de Agricultura Orgânica (Lei 10.831), onde o Brasil trabalha o conceito de equivalência com as normas internacionais para a atividade.

Autor:
Ministério da Agricultura

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 05 de Dezembro de 2016
13:15
Cassilândia
09:00
Maternidade
Domingo, 04 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)