Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

10/02/2007 14:59

Aftosa: restrição em municípios deve terminar em 6 meses

Sandra Luz/Campo Grande News

Em pelo menos seis meses o governo de Mato Grosso do Sul espera resolver a situação sanitária dos municípios de Eldorado, Japorã e Mundo Novo, interditados por conta da identificação de atividade viral para a febre aftosa em sorologia aplicada pelo Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento). Segundo o governador André Puccinelli (PMDB), nesse período serão efetuadas sorologias mensais para excluir qualquer atividade viral no gado das três cidades. A imposição do abate vem com a abdicação do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) das cabeças como forma de reduzir as perdas aos produtores.

O governo espera, ainda, até maio o Estado já retome o status de zona livre de febre aftosa suspenso desde outubro de 2005, quando um foco de aftosa foi identificado em Eldorado. De acordo com o governador, para recuperar o status e retomar a exportação de carnes, o Estado decidiu acatar as orientações do Mapa e vai instituir o abate sanitário nos três municípios. O abate será imposto para os animais reagentes ao vírus em frigoríficos autorizados pelo governo. “Se não deixar abater, quem tem Polícia Militar e tem Departamento de Operações de Fronteira vai fazer valer a lei. Vai abater por determinação do Estado. O governo vai fazer valer o poder de polícia administrativamente”.

No abate sanitário, o gado é desossado e a carne maturada, sendo o produto colocado normalmente no mercado. Como incentivo, o governo isentou os animais reagentes do ICMS. Segundo Puccinelli, somente animais de Eldorado, Japorã e Mundo Novo estão inclusos na medida. Se for considerado o inquérito epidemiológico efetuado pelo Mapa entre outubro de 2006 e janeiro de 2007, 444 propriedades devem ter gado abatido, o que representa 11.449 cabeças.

Os detalhes sobre o abate serão discutidos às 18 horas deste sábado, dia 10, em reunião na Governadoria. Participam os representantes dos frigoríficos Iguatemi, União e Fibrasil. O próximo passo, agora, será definir como fica a situação dos pequenos proprietários que sobrevivem da pecuária leiteira. Conforme Puccinelli, a pasteurização será incentivada, mas em caso de sorologia positiva, o gado também será abatido.

Além do abate, o governo, Mapa e prefeitos definiram reforço da vacinação na área de fronteira, intensificação da vigilância e contratação de veterinários por parte dos municípios. Quanto à situação de fronteira, que é alvo de críticas da OIE (Organização Internacional de Epizootias), Puccinelli disse que não pode negociar com os países de fronteira porque é italiano e que “isso cabe ao Lula (presidente Luiz Inácio Lula da Silva)”.

Para as fronteiras, o Mapa já sinalizou que vai atender às exigências da OIE para armonização dos trabalhos de vigilância e controle da aftosa, segundo o diretor do Departamento de Saúde Animal do Ministério, Jamil Gomes de Souza. O diretor explicou que a OIE discutiu em Paris não somente a situação de Mato Grosso do Sul em relação à doença, mas de toda a América do Sul e observou inconformidades na faixa de fronteira. As adequações exigidas incluem adequação dos períodos e do sistema de vacinação e controle da imunização.

Souza revelou que os trabalhos serão discutidos com representantes do Paraguai, Bolívia e Uruguai. Dos três, o Paraguai corre risco de ter a situação revista pela OIE. Hoje, o gado paraguaio é considerado pela entidade livre de febre aftosa com vacinação.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)