Cassilândia, Segunda-feira, 21 de Maio de 2018

Últimas Notícias

04/08/2005 13:49

Aftosa: MS estuda suprimir etapa de vacinação

Fernanda Mathias / Campo Grande News

Vencidas as etapas de controle, erradicação, sem registro de casos de aftosa desde 1999, Mato Grosso do Sul poderá suprimir uma das três etapas da imunização, o início de um caminho que será percorrido rumo ao status de área livre de febre aftosa sem vacinação. Esta é a condição para ingressar em mercados importantes como o Japão e os Estados Unidos.
O diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Defesa Animal e Vegetal), João Cavalléro, é cauteloso ao falar sobre o assunto, mas admite a possibilidade de suprimir a etapa de vacinação de fevereiro, que atinge animais de 0 a 12 meses, passar a de novembro, que vai de mamando a caducando, para maio e a de maio, envolvendo animais de 12 a 24 meses, para novembro.
A proposta, que é um pleito antigo do setor produtivo, ainda é discutida com entidades representativas da classe como Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) e Famasul (Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul), foi apresentada no CESA (Conselho Estadual de Sanidade Animal) e será submetida a sociedade. Cavallero destaca que nos últimos anos os índices de vacinação atingidos por Mato Grosso do Sul, sempre superiores a 95%, aliado ao reconhecimento do Paraguai com área livre de febre aftosa e as barreiras naturais com a Bolívia, dão mais tranqüilidade quanto ao status que o Estado adquiriu.
“Precisamos agora avançar no processo de lidar com a febre aftosa. Nós trabalhamos no mesmo modelo de 1994, já erradicamos a doença e trabalhamos como se fosse fase de controle”, explica. Além da própria condição sanitária adquirida, diz, é preciso levar em conta que o pico de parição mudou, assim como o fluxo de comercialização de animais internamente.
A idéia de caminhar no sentido de conseguir status de área livre sem vacinação é avançar em mercados que são mais exigentes e que pagam melhor pela carne bovina, como são os casos do Japão, EUA, Coréia do Sul, México e Canadá. Cerca de 53% de toda carne que o País exporta é procedente de Mato Grosso do Sul.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 21 de Maio de 2018
Domingo, 20 de Maio de 2018
15:18
Cassilândia/Itajá
Sábado, 19 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)