Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

04/08/2005 13:49

Aftosa: MS estuda suprimir etapa de vacinação

Fernanda Mathias / Campo Grande News

Vencidas as etapas de controle, erradicação, sem registro de casos de aftosa desde 1999, Mato Grosso do Sul poderá suprimir uma das três etapas da imunização, o início de um caminho que será percorrido rumo ao status de área livre de febre aftosa sem vacinação. Esta é a condição para ingressar em mercados importantes como o Japão e os Estados Unidos.
O diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Defesa Animal e Vegetal), João Cavalléro, é cauteloso ao falar sobre o assunto, mas admite a possibilidade de suprimir a etapa de vacinação de fevereiro, que atinge animais de 0 a 12 meses, passar a de novembro, que vai de mamando a caducando, para maio e a de maio, envolvendo animais de 12 a 24 meses, para novembro.
A proposta, que é um pleito antigo do setor produtivo, ainda é discutida com entidades representativas da classe como Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) e Famasul (Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul), foi apresentada no CESA (Conselho Estadual de Sanidade Animal) e será submetida a sociedade. Cavallero destaca que nos últimos anos os índices de vacinação atingidos por Mato Grosso do Sul, sempre superiores a 95%, aliado ao reconhecimento do Paraguai com área livre de febre aftosa e as barreiras naturais com a Bolívia, dão mais tranqüilidade quanto ao status que o Estado adquiriu.
“Precisamos agora avançar no processo de lidar com a febre aftosa. Nós trabalhamos no mesmo modelo de 1994, já erradicamos a doença e trabalhamos como se fosse fase de controle”, explica. Além da própria condição sanitária adquirida, diz, é preciso levar em conta que o pico de parição mudou, assim como o fluxo de comercialização de animais internamente.
A idéia de caminhar no sentido de conseguir status de área livre sem vacinação é avançar em mercados que são mais exigentes e que pagam melhor pela carne bovina, como são os casos do Japão, EUA, Coréia do Sul, México e Canadá. Cerca de 53% de toda carne que o País exporta é procedente de Mato Grosso do Sul.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)