Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

04/09/2004 09:24

Aftosa: Ministério libera R$ 400 mil para MS

Mapa Imprensa

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, anunciou ontem (03/09), durante a feira internacional Expointer, em Esteio (RS), a liberação de R$ 400 mil para o controle da febre aftosa na fronteira do Mato Grosso do Sul. Os recursos servirão para ações de vigilância do Exército Brasileiro na fronteira a fim de garantir a manutenção do status de livre de doença na região. “Tomamos a decisão política de fazer a proteção sanitária do Mato Grosso do Sul para evitar a qualquer custo a entrada da doença em território brasileiro”, disse Rodrigues.

Em agosto, o Paraguai registrou a ocorrência de casos de rinotraqueíte, uma doença infecciosa que afeta o sistema respiratório dos animais. Por isso, os municípios sul-matogrossenses de Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia e Aral Moreira iniciaram a vacinação de reforço contra a febre aftosa num rebanho de cerca de 250 mil bovinos. A doença apresenta sintomas semelhantes aos das enfermidades vesiculares, o que reforçou a decisão de fazer uma nova imunização nos animais próximos da fronteira com a Paraguai.

Sisbov – O ministro Roberto Rodrigues reforçou ainda a necessidade de manter o Sistema Brasileiro de Identificação e Certificação de Origem Bovina e Bubalina (Sisbov). “A rastreabilidade será mantida a qualquer custo”, afirmou. “Vamos garantir a certificação e origem de nossos produtos. E não apenas para a carne bovina, porque em breve o mundo não aceitará nenhum produto sem alguma forma de certificação e rastreamento”.

O ministro garantiu que o Sisbov será um instrumento para aumentar a renda dos produtores brasileiros. “Não posso permitir que uma ação represente perda para o produtor. O animal não-rastreado não pode valer menos que o rastreado, mas ao contrário: o animal rastreado tem que valer mais. Parece um jogo de palavras, mas não é”, afirmou. “Não serei escudo para tirar renda do produtor em hipótese nenhuma. Tampouco serei guarda-chuva para cartórios num processo tão importante e relevante para defesa sanitária”.

Defesa – Rodrigues informou ainda que o Ministério da Agricultura terá um reforço no orçamento para a defesa agropecuária no próximo ano. “Temos a garantia de R$ 152 milhões para 2005, mas podemos elevar ainda mais o orçamento numa parceria com o Congresso Nacional”, disse. Segundo ele, não basta apenas o trabalho do governo federal na questão sanitária. “Vamos colocar gente para levar isso adiante com a recente contratação de 200 fiscais e 450 agentes de inspeção sanitária. Mas precisamos rever o modelo de defesa agropecuária. Talvez o caminho seja deixar com o governo a auditoria de um modelo mais moderno, consistente e eficiente para avançar e garantir mercados”.

Rodrigues acredita que haverá um gradual aumento das barreiras não-tarifárias. “Não há dúvida disso”, afirmou. Por isso, o ministro alerta que o combate à febre aftosa, por exemplo, necessita de uma ação mais ampla no continente. “Não basta só a preocupação do Brasil. Temos que fazer uma ação continental. Em função disso, o presidente Lula decidiu liderar um processo político para eliminar a aftosa do continente sul-americano”, disse. “Mas precisamos ter clareza neste assunto. Parceria, entedimento e articulação são fundamentais para eliminar a aftosa da América do Sul. Temos um programa de convencimento da população do Norte do país sobre a necessidade de uma ação privada conjunta com os governos”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)