Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

22/11/2007 18:24

Acusado por procurador, Mares Guia pede demissão a Lula

Humberto Marques/Campo Grande News

Walfrido dos Mares Guia não é mais ministro da Secretaria de Relações Institucionais. Ele entregou o pedido de demissão ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a carta em que solicitou o afastamento do cargo. Conforme a Agência Brasil, Mares Guia afirma ser inocente quanto às acusações encaminhadas ao Supremo Tribunal Federal, na qual o ex-ministro figura como um dos 15 acusados de envolvimento no suposto de esquema de arrecadação ilegal de recursos para campanhas eleitorais em Minas Gerais – o “mensalão mineiro”.

Mares Guia informou que pretende “empenhar todos os esforços” para se defender. No entanto, também diz que “não quero (...) que um assunto alheio ao seu governo cause qualquer embaraço à sua gestão e à importante agente que Vossa Excelência tem para o País”. O ex-ministro foi acusado ao lado do senador Eduardo Azeredo (PSDB/MG) e o empresário Marcos Valério de Souza.

No documento, Mares Guia diz ter recebido com “profunda indignação” a informação de que o procurador-geral da República, Antônio Fernando Souza, o denunciou ao STF. “Nem a Polícia Federal, nem o próprio procurador deram-me o direito de prestar os esclarecimentos ao longo dos quase dez anos nos quais investigou-se esse assunto”, pontuou.

Leia a carta na íntegra:

“Excelentíssimo Senhor Presidente da República,

Senhor Presidente, quando aceitei seu honroso convite para assumir o Ministério do Turismo e, posteriormente, a Secretaria de Relações Institucionais, o fiz com a tranqüilidade de que tenho uma vida idônea, transparente e marcada por êxitos que obtive à custa de muito trabalho.

Ao longo destes quase cinco anos de colaboração com seu governo, procurei contribuir com todos os meus esforços para uma obra econômica e social que já faz parte da História do País. Infelizmente, esse mesmo compromisso me obriga, hoje, a pedir meu afastamento do cargo de Ministro-Chefe da Secretaria de Relações Institucionais.

Uma única vez, no dia 6 de março de 2006, prestei depoimento à Polícia Federal sobre questões relativas à campanha eleitoral de 1998 em Minas Gerais. Naquela oportunidade, nada me foi perguntado sobre um possível desvio de recursos de patrocínio de eventos para a campanha de reeleição do então governador. Essas questões, agora, baseiam uma surpreendente acusação contra mim. Recebi com profunda indignação a informação de que o Procurador-Geral da República acusou-me perante o Supremo Tribunal Federal por um crime que não cometi e sobre o qual jamais fui ouvido. Nem a Polícia Federal, nem o próprio Procurador deram-me o direito de prestar os esclarecimentos ao longo dos quase dez anos nos quais investigou-se esse assunto.

Como lhe disse anteriormente, se tivesse um milímetro de dúvida sobre minha biografia, jamais teria aceitado este cargo. Essa convicção me permite afirmar que nunca participei de qualquer reunião sobre o assunto que ora move o Procurador-Geral da República em sua acusação ou dele tive ciência ao longo da campanha eleitoral de 1998, período no qual dediquei-me intensamente à minha eleição para a Câmara dos Deputados. A acusação é injusta e improcedente. Isso ficará provado no curso do processo.

Considero que neste momento é meu dever empenhar todos os meus esforços para me defender. Não quero, entretanto, que um assunto alheio ao seu governo cause qualquer embaraço à sua gestão e à importante agenda que Vossa Excelência tem para o País.

Senhor Presidente, agradeço imensamente seu apoio e sua confiança. Nos conhecemos ao final de 2002, quando fui chamado para compor sua equipe. Desde então, sua postura leal, firme e cordial estreitou os laços entre nós e também entre nossas famílias. Ao interromper esta colaboração, o faço com enorme gratidão pela oportunidade de servir ao País e com profundo afeto pela amizade que construímos. Saiba que onde estiver continuarei trabalhando por seu governo.

Respeitosamente,
Walfrido dos Mares Guia
Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Relações Institucionais”

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)