Cassilândia, Sábado, 03 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

27/10/2014 08:39

Ação penal não exclui candidato de concurso da PM em MS

TJMS

Os componentes da 3ª Seção Cível, por unanimidade, deram provimento a mandado de segurança, com pedido liminar, impetrado por P.V.T.A. contra ato praticado pelos secretários de Estado de Justiça e Segurança Pública e de Administração de MS.

De acordo com o processo, o autor se inscreveu em concurso público de provas e títulos para preencher vaga no cargo de soldado da PM, tendo sido aprovado na prova objetiva e convocado para as demais fases do concurso, porém foi excluído na fase de investigação social por ter uma ação penal em que está sendo acusado de ameaça contra a ex-companheira.

Alega que a eliminação viola o princípio da supremacia do interesse público, da indisponibilidade, da legalidade, do acesso ao serviço público, da igualdade, da presunção de inocência, da proporcionalidade e da razoabilidade e requer o deferimento de medida liminar, além da concessão da segurança. A liminar foi deferida.

No entendimento do relator do processo, Des. Marcos José de Brito Rodrigues, a segurança deve ser concedida porque está demonstrada a ilegalidade no ato praticado pelas autoridades impetradas, pois o fato de existir uma ação penal em curso contra o requerente, quando sequer houve sentença condenatória, fere o princípio da inocência, inscrito na Constituição Federal.

Neste processo, não há informação nos autos de que já exista uma sentença transitada em julgado ou que o requerente possua outros antecedentes criminais. Os antecedentes indicados nos autos referem-se à medida protetiva e ao inquérito policial, relativos ao mesmo fato imputado ao requerente e do qual não há condenação judicial.

“Logo, reconheço a proibição de aplicar restrições a direitos do cidadão que nem ao menos foi condenado, pois de outra maneira estaria violando liberdades fundamentais e a própria ordem constitucional, além do princípio da presunção de inocência. Diante disto, concedo a segurança e ratifico a liminar deferida anteriormente”.

Processo nº 1411277-33.2014.8.12.0000

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 03 de Dezembro de 2016
06:50
Loterias
Sexta, 02 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do Dia
Quinta, 01 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)