Cassilândia, Quarta-feira, 23 de Maio de 2018

Últimas Notícias

24/01/2009 09:06

Ação da igreja não barra aborto e arcebispo condena ato

Fernanda França, Campo Grande News

A igreja católica tentou ontem barrar um aborto já autorizado pela Justiça, mas não conseguiu seu objetivo a tempo.

Por volta das 15h, o advogado da Arquidiocese de Campo Grande, Lincoln Cézar Melo Godoeng Costa, ingressou com ação no TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), mas sem efeito, já que o aborto do bebê com alteração na formação da estrutura encefálica ocorria quase ao mesmo tempo, aos 4 meses de gestação.

Em contato com o Campo Grande News, o arcebispo dom Vitório Pavanello não só lamentou como condenou o ato.

“Achamos que este aborto iria acontecer na segunda ou terça-feira da semana que vem, mas como ocorreu, só temos a lamentar. Foi uma grave agressão aos direitos humanos, porque mesmo com deficiência física ou mental, a criança tinha direito de nascer”, disparou.

Segundo o arcebispo, a interrupção da gravidez não era necessária, porque não colocava em risco a vida da mãe.

“Só podemos lamentar e condenar tal atitude, porque conversei com médicos e não ia afetar em nada a vida da mãe. O bebê tinha direito de nascer e não cabia a nós intervir”, declarou.

Para ele, a dor na consciência será um problema que a mãe, de 22 anos, vai carregar pela vida toda.

“Quem faz aborto tem dor na consciência da vida toda, ela se livrou do problema de um lado, mas vai carregar outro problema o resto da vida”, disse, ressaltando que sua condenação se estende aos médicos que interromperam a gravidez e principalmente ao juiz Aluízio Pereira dos Santos, que permitiu o aborto.

A presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB, Delasnieve Daspet, conversou com a família ontem à noite, por volta das 19h30, e os procedimentos de aborto já haviam sido iniciados.

Ela disse que a Ordem dos Advogados do Brasil já esperava algum tipo de manifestação da Igreja Católica.

"A igreja está fazendo a parte dela, mas tenho certeza de que eles não iriam querer responder na justiça caso a mãe perdesse a vida", opinou.

Segundo ela, o laudo apresentado pelos médicos atesta que a mãe poderia contrair infecção generalizada, já que a massa encefálica do bebê, desprotegida pela caixa craniana, estava diretamente em contato com o líquido amniótico.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 23 de Maio de 2018
Terça, 22 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Segunda, 21 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)