Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

12/05/2006 18:25

Acadêmicos aprendem a fazer instrumentos alternativos

Bruna Girotto e Jucyelly Aredes

Chocalho feito com duas peneiras e grãos de feijão. Flauta produzida com garrafas de vidro. Som de sinos com potes de cerâmica e amassador de caipirinha. Acreditem: destes objetos é possível fazer música.

Na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), alunos de Música têm no primeiro semestre, aula da disciplina “Acústica e Construção de Instrumentos”, ministrada pelo artista plástico e mestre em educação, Júlio Feliz. O professor escreveu o livro “Instrumentos Sonoros Alternativos – Manual de Construção e Sugestões de Utilização”, utilizado pelos acadêmicos para a produção de instrumentos, com materiais alternativos, como canos de PVC, madeira, barbantes, bambu e pedaços de ferro. Durante o semestre, os acadêmicos têm de criar no mínimo cinco instrumentos musicais.

Segundo Luciana, acadêmica de Música, os alunos se interessam e gostam de aprender a criar instrumentos. “Gosto muito de fazer, colocar a mão na massa, ou melhor, na madeira. Penso em até desenvolver um curso para ensinar às crianças.”

Há curiosidades sobre os materiais que Juscelino Cândido, técnico e operador de máquinas, ensina. “Madeira molhada não dá afinação. Tem de ser seca. Se molhar, mesmo depois de seca ela não vai funcionar, porque muda a afinação, o tom”. Juscelino trabalha com as máquinas mais perigosas para prevenir qualquer acidente entre os acadêmicos. “As máquinas mais perigosas são três: a tupia, que faz molde de ferro, a plaina, que possui três facas muito afiadas, e a serra circular esquadrejadeira, que é utilizada para cortar madeira”, conta. Todo cuidado com os alunos foi esquecido por ele. “Em casa, tenho uma pequena marcenaria. Perdi a ponta do dedo quando trabalhava com uma plaina.”

No início de maio, alguns acadêmicos produziram o xilofone, instrumento semelhante ao teclado, contudo mais rústico. “O som é produzido pela largura da madeira e o tamanho do cano”, explica Júlio. Os instrumentos produzidos durante o curso devem ser de corda, sopro e percussão. “Peço aos alunos que no final do semestre criem um instrumento. Não podem comprar pronto. Devem ir às lojas de variedades e escolher entre os objetos, aqueles que fazem sons, e podem formar um instrumento”.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)