Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

26/01/2007 08:54

Abertura de comportas da Cesp alaga fazendas em MS

Maristela Brunetto - Campo Grande News

A abertura de comportas das usinas hidrelétricas da Cesp (Companhia Energética de São Paulo) a partir do dia 11 deste mês provocou alagamento em propriedades rurais na região leste de Mato Grosso do Sul. Em pelo menos duas cidades na divisa com São Paulo, na margem direita do Rio Paraná, donos de áreas tentam contabilizar os danos.

Em Batayporã, o produtor rural Lauro Nilbradt conta que já perdeu de 10 a 12 mil sacas de arroz que estava sendo cultivado, prejuízo estimado em R$ 400 mil, disse. Ele revela que em alguns locais tenta fazer espécie de diques para impedir o avanço da água e aumento do estrago, podendo chegar a 50 mil sacas. O produtor vai acionar a Cesp na Justiça pelas perdas.

Além disso, ele tem uma pousada na margem do rio, onde também vive com a família. A água está colada ao imóvel, já encobriu parte da vegetação. Se o volume de água do rio subir meio metro, diz, corre o risco de ter a propriedade ilhada. A propriedade fica a cerca de sete quilômetros da barragem de Porto Primavera. A Cesp tem no rio ainda uma hidrelétrica em Jupiá e Ilha Solteira.

As terras de Ivan Roberto, em Taquarussu, cidade vizinha a Batayporã, já estão alagadas e ilhadas. Ele vai contratar equipe de peões e uma balsa para retirar pelo menos 250 animais ainda isolados. Ele não tem a conta de quantos animais perdeu. Pelo menos 1,6 mil já foram resgatados. Além de gado, ele tem ainda ovelhas e cavalos.

Ele tem três propriedades na região, todas com trechos encobertos pela água do Rio Paraná. Não dá ainda para calcular o prejuízo, é preciso esperar baixar o rio, diz. “Aí vamos ver o prejuízo”. Ele tem cinco funcionários para trabalhar nas fazendas. Para chegar e sair, só de barco, conta.

O produtor lembra que em 2004 também ocorreu enchente. Roberto reclama da postura da Cesp, que não alertou a comunidade dos riscos.

Conforme boletim da empresa, os vertedouros da usina Sergio Motta, de Porto Primavera, a vazão aumentou a partir do dia 23. A empresa diz que a abertura de comportas é uma ação preventiva, comum em épocas de cheia. Para Nilbradt, o gesto da empresa foi tardio, por isso uma grande quantidade de água veio de uma vez.

(Colaboraram Almir Portela, de Batayporã, e Marcos Donzeli, de Nova Andradina)

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)