Cassilândia, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

25/01/2006 13:22

Abate de vacas cresce 57% e revela crise

Fernanda Mathias/Campo Grande News

Os baixos preços pagos pela arroba do boi obrigaram que os produtores elevassem substancialmente o abate de matrizes em Mato Grosso do Sul e, conforme já previa o setor, nos últimos quatro anos houve aumento de 57,8% nos abates de fêmeas no Estado, conforme mostram dados da SFA (Superintendência Federal de Agricultura), que leva em conta dados de frigoríficos com SIF (Serviço de Inspeção Federal).

Foram 1.918.223 fêmeas abatidas no ano de 2005, contra 1.815.816 em 2004, 1.387.460 em 2003 e no ano de 2002 o número de fêmeas abatidas foi de 1.215.023. Considerando que naquele ano o abate total de animais foi de 3.162.726, as fêmeas significavam 38,41% em 2002. Já no ano passado elas representaram 53%. Em 2005, apesar de a ocorrência de febre aftosa, o total de bovinos abatidos em Mato Grosso do Sul teve retração de apenas 1%, passando de 3.660.933 no ano anterior a 3.623.222, segundo dados da SFA.

O presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Laucídio Coelho Neto, afirma que como o pecuarista não consegue com a venda de bezerros recursos suficientes para se manter nas atividades, acaba vendendo as fêmeas. A conseqüência esperada a médio prazo é redução do rebanho e da oferta de animais, o que poderia melhorar os preços.

Hoje a arroba está cotada a R$ 45,00, segundo Laucídio a pior remuneração dos últimos 50 anos em função dos custos e em termos de valores se iguala ao que era pago pela arroba no ano de 1996. O esperado para este momento era de R$ 70,00 e pelo menos R$ 60,00 para cobrir os custos. “A pecuária está no vermelho. Primeiro sofremos com as barreiras impostas após aparecimento dos focos de febre aftosa e agora com frigoríficos fechados demora mais tempo para o mercado absorver excesso que ficou”, diz. Para ele a tendência e a recomendação é que os abates de matrizes continue para que a oferta seja ajustada à demanda, após um período de euforia em que o rebanho nacional teve uma explosão de crescimento.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Quinta, 14 de Dezembro de 2017
21:14
Loteria
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)