Cassilândia, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

29/09/2015 09:00

A difícil espera para quem deseja ter um filho

Cuidado Materno

Para muitas pessoas, a maternidade ou a paternidade é algo natural, que acontece no tempo em que desejam ou até mesmo antes. Mas, para outras, essa espera não é tão simples e acaba por se tornar motivo de angústia e ansiedade.

A ansiedade, pode muitas vezes interferir no tratamento de casais que estão tentando engravidar. Evidentemente, é muito perigoso afirmar que a ansiedade pode ser a causa da infertilidade nos casais que não conseguem gerar um filho. Seria muita falta de responsabilidade fazer essa afirmação, até porque são numerosas as causas da infertilidade, e podem estar relacionadas ao homem, à mulher ou até mesmo a ambos ou a nenhum dos dois, como vemos nos casos de casais que apresentam infertilidade inexplicável, ou seja, quando não há causa aparente que a justifique.

Um bom diagnóstico de um especialista em fertilidade pode proporcionar tranquilidade ao casal e elucidar as causas e os possíveis tratamentos existentes para o problema. Contudo, manter a calma e a serenidade nessa etapa nem sempre é fácil, e o processo terapêutico pode ser muito rico nessa fase. Nesse momento, cada um pode ter a oportunidade de entrar em contato com diversas questões que anteriormente nem sequer perceberiam e que agora podem aflorar ao consciente, atribuindo novos significados a uma diversidade de aspectos da personalidade.

São inúmeros os motivos que levam as pessoas a decidirem ter um filho e nem sempre coincidem com os do parceiro. É comum nos depararmos com casais que divergem em relação ao desejo de ter um filho ou em relação ao momento certo para isso. Nem sempre o que um espera e deseja é o mesmo que o outro. Percebo, em muitos casos, que um dos parceiros deseja muito ter um filho, enquanto o companheiro tem outras preocupações. Isso pode gerar muitas decepções entre o casal e até mesmo ser o motivo de brigas e, em alguns casos, resultar em separação. O casal precisa estar em sintonia, mesmo porque os tratamentos de infertilidade nem sempre são simples e requerem paciência e apoio mútuo.

Observo que os casais que estão há muito tempo tentando engravidar tendem a transformar a ideia de ser pai ou mãe em algo muito distante, o que vem a ser motivo de frustração e até de desesperança.

Percebo alguma semelhança entre os casais que estão à espera de adotar uma criança e aqueles que estão em tratamento de infertilidade. O que vejo em grande número de casos é a ansiedade e o universo de tais pessoas girando em torno dessa questão, muitas vezes impedindo-as de relaxar e desfrutar outras oportunidades na vida.

Não há grandes diferenças entre o tempo de espera por uma gravidez, durante o tratamento que a precede, nos casos de infertilidade e a chegada da criança, nos casos de adoção. Ambos podem ser longos e sem previsão exata para se concretizar. É nesse momento que todos os envolvidos devem tentar manter a calma e o foco no que desejam. Entretanto, é importante não deixar de lado as outras atividades, como o trabalho, nem outros projetos de vida. Vejo que muitos vivenciam isso como se o restante da vida estivesse em compasso de espera, aguardando a gravidez e a chegada da criança, para então viverem as outras coisas.

Nesse período de espera, observo a oportunidade que cada um pode ter de fazer uma reflexão interna a respeito do que significa para si mesmo ser pai ou mãe. É possível que a longa espera transforme até a maternidade ou a paternidade em um desafio, e a frustração decorrente das tentativas malsucedidas de tratamento ou adoção, podem gerar muita angústia e até revolta. É comum nos depararmos com pacientes indignados com mães que se submetem a abortos ou abandonam os filhos, denotando extrema incompreensão com a situação em que se encontram. Por isso, o processo terapêutico – individual ou até de casal – torna-se imprescindível, pois reassegura a condição que cada um tem em relação à sua situação propriamente dita e também a si mesmo.

Por fim, sabemos que a espera pela chegada de um filho talvez seja demorada, mas pode ser vivida como um grande aprendizado. É importante que as pessoas que se encontram nessa situação não desistam e percebam a possibilidade de aprender muito a respeito de si mesmas e até do parceiro, se conseguirem ter a tranquilidade necessária e aproveitarem devidamente essa fase.

Por Cynthia Boscovich

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Quarta, 13 de Dezembro de 2017
Terça, 12 de Dezembro de 2017
20:48
Loteria
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)