Cassilândia, Quinta-feira, 08 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

08/03/2007 09:25

A crônica do Corino: Transa cowboy

Corino Rodrigues de Alvarenga
Cassilândia NewsCassilândia News

Uma amiga me contou que a pior transa é a cowboy. Estávamos conversando ontem, entre uma cervejinha e outra, e ela saiu com essa. Larissa é assim mesmo: extravagante, surpreendente, sui generis.
Aliás, para dizer logo a verdade de pronto, ela não gosta de música sertaneja, prefere Cazuza e Caetano, e adora tirar onda com os caipiras como este cronista. Eu não tenho culpa de ter nascido caipira, de gostar de moda de viola e de ser amante do catiretê, ou tenho culpa de ter nascido assim?
Mas a desbocada saiu com essa. E me custa contar logo de imediato o que a moça teve a ousadia de dizer. Tenho cá os meus princípios e não iria emporcalhar o meu trabalho com uma picardia – ou seria uma promiscuidade? – dessas.
Mas, ela baseada na brutalidade do mundo dos rodeios e na passividade das mulheres diante de tamanho machismo, resolveu abrir o jogo e dizer o que é mesmo a transa cowboy.
Mas, antes de falar sobre a tal transa cowboy, eu quero abordar a importância do mundo dos rodeios na vida dos povos sertanejos de minha terra, o Mato Grosso do Sul, de Goiás, de Minas, do Paraná, de Santa Catarina, de São Paulo, e de vários Estados brasileiros.
O mundo das montarias é fascinante. Além de belíssimo espetáculo, ainda que desagrade às entidades defensoras dos direitos dos animais, o rodeio mexe com a economia dos municípios, empolga jovens com talento para montar em touros e cavalos e faz do caipira da roça um cidadão “chique no urtimo”. É a redenção do tabaréu. É a sua vitrine. Com as bênçãos de nossa Senhora Aparecida.
Tudo bem, tudo bem. Você está curioso para saber como funciona a transa cowboy? Tudo bem, tudo bem. Eu vou contar. Só não sei se será censurada. Talvez o horário não seja próprio. Talvez o patrocinador não aceite esse tipo de coisa. Mas, se até em novela das sete, há promiscuidade, por que não posso contar aqui uma coisa dessa?
Então lá vai. E segura aí firme, peão!
A transa cowboy, segundo me contou a amiga Larissa, funciona assim: o sujeito está com a mulher na cama, numa montaria perfeita, segura em seus cabelos - como se fosse um cowboy no brete, agarrando a rédea e esperando a hora de viajar na arena -, dá um tapa bem firme, trabalha a espora e grita em alto e bom som o nome de outra mulher.
Quer saber o resultado?
Se o cara for cowboy mesmo, ele agüenta o tranco e fica oito segundos em cima dela.

Corino Rodrigues de Alvarenga
Contato com o colunista:
corino_leia@hotmail.com

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Quarta, 07 de Dezembro de 2016
20:20
Loteria
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
03:14
Loteria
Terça, 06 de Dezembro de 2016
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)