Cassilândia, Sexta-feira, 09 de Dezembro de 2016

Últimas Notícias

22/08/2007 10:05

A crônica do Corinho - Baianinho da Rodoviária na Bahia

Corino Rodrigues de Alvarenga
Corino Rodrigues de AlvarengaCorino Rodrigues de Alvarenga

Um dia seria inevitável: Baianinho da Rodoviária, por ser baiano, teria que retornar à Bahia. Mas isso já não é novidade: Baianinho faz isso, ao lado dos amigos Nivaldo e Alberto Porto, praticamente todos os anos. É sagrado. É batata.
Já ao chegar à pequena Mairi, o trio de cassilandenses percebeu que em Mairi não tinha jeito. A terra natal de Baianinho, afinal de contas, só tem uma pequena rodoviária e uma minúscula, quase inexistente, pensão. O jeito foi se refugiar numa pousada em Várzea da Roça, uma cidade de sertão, crava no semi-árido baiano, terra boa para cultivar sossego, muito sossego.
Baianinho da Rodoviária, já sentindo a quentura do lugar, foi a um restaurante. Pediu à garçonete, que era a mulher do dono do estabelecimento. Disse, educadamente:
- Minha senhora, me dê Cristal.
- Cristal? O senhor vai comer minério? O senhor é macrobiótico?
- Não, minha senhora. Eu sou é etílico-biótico.
- Mas Cristal não é pedra, não é mineral?
- Nunca foi. Cristal é a minha cerveja favorita, senhora. Não é fazer merchandising, não, mas ela é boa pra chuchu.
- O senhor não vai encontrar essa marca de cerveja aqui, não, moço. Na Bahia, só tem Brahma, Skol, Sol, Antactica, Nova Schin...
- Com esse calor de tirar pica-pau do oco, vai qualquer uma.
Baianinho ficou pela Bahia por uma semana. Foi o suficiente para começar a preocupar as autoridades locais. Não se sabe o porquê, mas houve um início de rebuliço pela cidade e região. O nível local de estresse começou a aumentar. Até as igrejas começaram a andar mais cheias.
Aí o delegado Sabino descobriu o motivo de toda aquele clima de agitação. Todo bom bebedor de cerveja ia aos bares, restaurantes e lanchonetes e... nada! Cadê cerveja? Cadê cachaça? Cadê Pitu?
Contam as más línguas – e eu só estou repassando o que me passaram, sem aumentar um ponto sequer neste conto – que o estoque regulador de cerveja na cidade e região caiu assutadoramente, que o produto já estava sendo racionalmente no primeiro momento e começou a faltar num estágio mais avançado.
Dizem essas mesmas más línguas que as cervejarias passaram a enviar caminhões e mais caminhões carregados de cerveja para região de Mairi e Várzea da Roça.
Coincidência ou não, no sábado em que Baianinho da Rodoviária viajou rumo a Cassilândia, deixando para trás a Bahia, tudo voltou a normal. Já havia cerveja no balcão, no freezer e nos estoques dos bares, das lanchonetes, dos botequins e nos afins das duas cidades.
Ao se despedir da família, o sobrinho de Baianinho da Rodoviária, o peralta Severino, perguntou-lhe, enquanto mordia o lápis e segurava um caderninho amarelecido, na expectativa de fazer a lição de casa:
- Tio Baianinho, me ajuda a fazer essa tarefa. A metade de 50 é 25. E a metade de 51?
Baianinho pensou, pensou e saiu com essa:
- A metade de 51, sobrinho querido do titio, é meia garrafa de cachaça.
Todos ficaram rindo.
E Baianinho, ao lado de Alberto e de Nivaldo Porto, partiram. Partiram rumo a Cassilândia.

Corino Rodrigues de Alvarenga
Contato com o colunista:
corinorodrigues@hotmail.com

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 09 de Dezembro de 2016
Quinta, 08 de Dezembro de 2016
10:00
Receita do dia
09:00
Maternidade
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)