Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

20/07/2015 15:28

A cada 12 horas, um acusado é preso por violência doméstica contra mulher

Campo Grande News

Somente no primeiro semestre deste ano, a Polícia Civil prendeu 339 pessoas por violência doméstica contra a mulher, em Campo Grande. O número representa um acusado preso a cada 12 horas na Capital, e é alto, mas se comparado a estatística de denúncias relacionadas ao crime(3.340), significa que somente 10% dos denunciados foram presos.

De acordo com a delegada titular da DEAM (Delegacia de Atendimento a Mulher), Rosely Molina, a questão é que o número de presos se refere apenas aos casos de flagrante e mandados de prisão. "Com relação as denúncias, é instaurado o inquérito, a denúncia é apurada, e depois tudo é relatado à justiça, que decide ou não pela prisão do acusado, são situações independentes uma da outra", explicou a delegada.

Sobre o aumento no registro de denúncias, Rosely acredita que representa a maior sensação de segurança por parte das mulheres, diante do trabalho feito pela polícia. "Estamos fazendo um trabalho intenso de repressão a violência doméstica, seja ela de ordem física ou moral, isso dá segurança, além disso, há mais meios para denunciar, o que facilita", afirma.

Para a delegada, a existência e eficácia dos mecanismo de amparo às mulheres que denunciam situações em que são vítimas de violência doméstica como a Casa da Mulher Brasileira, que conta com uma estrutura completa para atendê-las, também refletem no aumento das denúncias. "A certeza do amparo, dá mais coragem a elas para que façam o registro. Antes elas eram agredidas por anos até denunciar, agora, na primeira agressão denunciam à polícia", relata.

Perfil - De acordo com Molina, não há um perfil específico que caracterize as vítimas de violência doméstica e também os autores. "Independe de classe social, idade ou qualquer outra coisa, são pessoas de todas as religiões e perfis", esclareceu.

Já a motivação costuma ser passional e futil, explica a delegada. "Casos de machismo são cotidianos. Ele sente ciúmes, acha que tem posse sobre a mulher, que acaba perdendo a liberdade e até sendo agredida", explicou. Alcoolismo e e uso de drogas por parte dos autores também são apontados como causa para as agressões.

 

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Segunda, 18 de Dezembro de 2017
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)