Cassilândia, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/10/2015 11:30

30% das mulheres com mais de 40 recorrem ao tratamento de fertilização

Portal APCD

Um levantamento realizado pela Veja mostrou que a maioria das mulheres com mais de 40 anos que procuram tratamentos para engravidar acreditam que será fácil. "Muitas vezes, a alternativa para elas é a utilização de óvulos doados", alerta Pedro Monteleone, diretor da Clínica de Reprodução Humana Monteleone e coordenador do Centro de Reprodução Humana do Hospital das Clínicas de São Paulo.

A chance de gravidez natural antes do 30 anos, no auge da juventude, é de 30% - com ajuda da medicina é de 60%. Mas a queda na fertilidade cai vertiginosamente com o passar da idade, inclusive por métodos artificiais. Aos 40 anos, a chance natural é de 10% e, com tratamento, de no máximo 20%. Agora outra comparação: mulheres com menos de 30 anos representam apenas 10% das pacientes que recorrem às clínicas de fertilização. As de 40, 27%.

A fertilização in vitro consiste basicamente na fecundação do óvulo em laboratório que irá formar o embrião. As chances desse método são maiores do que as naturais porque permite a extração de 1 a 3 óvulos do organismo da mulher antes da inseminação. No método natural, a mulher libera apenas um óvulo por mês.

A mulher nasce com uma população de folículos, espécie de bolsas onde ficam os óvulos. A cada ciclo menstrual, alguns folículos são recrutados. Um deles se desenvolve e cresce até a ovulação e é descartado durante a menstruação. Isso acontece todos os meses ao longo da vida fértil da mulher. Após os 30 anos de idade, para se ter uma ideia, mais da metade dos óvulos já foram liberados no ciclo menstrual. "Tanto a quantidade como a qualidade dos óvulos caem exponencialmente", afirma o médico Edson Borges, diretor clínico do Centro de Fertilização Assistida Fertility, em São Paulo. E isso vale tanto para o método natural quanto para o artificial.

As mulheres de 40 anos devem ainda considerar outra questão: o envelhecimento natural do organismo aumenta os riscos de alterações cromossômicas, responsáveis por síndromes genéticas, como o Down. "Em pacientes de 30 anos, o risco de o bebê nascer com a síndrome é de 1 a cada 900. Aos 40 anos, esse risco é de 1 a cada 100.", diz Borges.

Por isso, se os médicos pudessem eleger uma idade ideal para as mulheres engravidarem seria entre 25 e 30 anos. O dilema é que nessa faixa etária muitas mulheres estão comprometidas com estudo, carreira ou outras prioridades e acabam postergando a gravidez.

Diante desse cenário, uma saída apontada pelos especialistas é o congelamento de óvulos (que também deveria ser feito até por volta dos 30 anos, diga-se de passagem). Os óvulos mantêm as características da idade em que foram conservados.

Congelamento de óvulos

Considerada o grande presente da medicina reprodutiva, a técnica consiste em coletar óvulos e congelá-los por meio de um processo de esfriamento rápido, em no máximo cinco minutos, conhecido como vitrificação, que mantém as células intactas e aumenta a taxa de aproveitamento para mais de 90%.

Embora não tenha 100% de garantia, pois depende do sucesso da fertilização in vitro (40% de taxa de sucesso) e seu custo seja elevado (o procedimento pode chegar a custar mais de 23 mil reais), um levantamento realizado por VEJA São Paulo mostrou que têm aumentado o número de mulheres em busca do procedimento. Em 2014, 834 pessoas realizaram o procedimento nas treze principais clínicas da cidade de São Paulo, o que representa um aumento de 80% em relação a 2013.

A técnica surgiu como um recurso indicado apenas para pacientes com câncer, que corriam o risco de perder a capacidade de gerar filhos após o tratamento.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 09 de Dezembro de 2017
09:09
Cassilândia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)