Cassilândia, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

23/06/2016 15:13

25 de junho: Dia Mundial do Vitiligo; o que é?

Rogéria Lemos

O vitiligo, doença que acomete cerca de 2% da população mundial, é facilmente diagnosticado pela presença de manchas brancas bem delimitadas, que se situam em qualquer área da pele. Roberto Dóglia Azambuja, assessor do departamento de Psicodermatologia da SBD explica a importância de consultar um dermatologista para diagnóstico e tratamento precoce.

"Quando as manchas não são completamente brancas, ou seja, são claras, o diagnóstico pode ser difícil até para o especialista. Não existem exames laboratoriais que deem o diagnóstico de vitiligo. Quanto mais cedo for tratado maior a possibilidade de cura", ressalta o dermatologista.

Hoje o maior problema para quem tem vitiligo é a rejeição social. Clinicamente, na maior parte dos casos, o vitiligo não causa nenhum sintoma nem nenhuma alteração da pele. "É como ficar com cabelos brancos", completa Azambuja.

Para os portadores da doença, como a pele atingida fica sem pigmento, a resistência à ação dos raios solares diminui acentuadamente. Em consequência, a pessoa deve evitar exposição à luz solar, porque poderá sofrer queimadura. Entretanto, uma pequena dose de luz solar, de cinco a dez minutos por dia, pode ser benéfica no sentido de repigmentar a área branca.

Fatores desencadeantes

A causa da doença é desconhecida. Muitas vezes iniciado por estresse, luz solar, queimaduras térmicas, traumatismos da pele e dermatites podem agir como fatores desencadeantes.

Tratamentos

Vitiligo tem cura, mas não é possível predizer quem vai se curar, porque cada pessoa reage de seu jeito próprio.

"Cada pessoa forma um tipo de vitiligo só dela e por razões próprias. Por isso, não existe tratamento padrão, que dê o mesmo resultado em todas as pessoas. O mesmo tratamento aplicado a dez pessoas dará dez resultados diferentes. Em última análise, quem cura não é o tratamento, mas a interação do organismo com o método utilizado", explica Roberto.

Os tratamentos se resumem a medicamentos orais, tópicos, cirúrgicos e fototerapia. O mais comum é o uso de corticoides e de substâncias provocadoras da formação de pigmento. Em casos circunscritos e estabilizados há um ano, pode ser feita uma operação especial, com transplante de melanócitos e posterior irradiação com ultravioleta. A fototerapia atualmente em uso emprega radiação ultravioleta de faixa estreita, conhecida como UVB-NB.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)