Cassilândia, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

20/06/2011 17:26

21 de junho — Dia Nacional de de Combate à Asma

Assessoria

No dia 21 de junho, Dia Nacional de Combate à Asma, os médicos da ASBAI (Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia) reforçam a divulgação das estatísticas da doença. De acordo com os especialistas a asma é uma doença que afeta cerca de 10% a 25% da população brasileira, sendo responsável, anualmente, por 400 mil internações hospitalares (DATASUS 2001), 2.500 óbitos e um número incontável de atendimentos ambulatoriais, principalmente, em salas de urgência e de faltas ao trabalho e à escola.



O que é a Asma?

A asma é uma doença de origem genética que se acompanha de uma inflamação dos brônquios. Caracterizadas pelos sintomas de tosse, sensação de aperto no peito, respiração curta e chiado no peito.

De acordo com os especialistas, é importante que a asma seja reconhecida como uma doença alérgica e diagnostica precocemente para que seja controlada. Eles explicam que, na maior parte dos casos, a doença é diagnostica na faixa dos seis anos de idade ou então na adolescência e na fase adulta. Poucos são os casos diagnosticados antes dos dois anos de idade, fase em que 80% já apresentam a primeira crise.



Tratamento

Existem vários tipos de remédios para tratar a asma, mas pode-se dividir em dois grupos: Remédios aliviadores - para aliviar sintomas e tratar as crises da doença e Remédios controladores - que atuam na inflamação dos brônquios, controlam a doença e evitam novas crises. O tratamento pode ser feito com a utilização de medicações por via inalada sob a forma de sprays (conhecidas como “bombinhas”), nebulização ou como inaladores de pó seco.

“Um grande avanço no tratamento da asma foi a descoberta dos corticóides inalados (conhecidos como “bombinhas de cortisona”). Estes remédios não engordam, não viciam e não fazem mal ao coração. Pelo contrário, podem ser usados em adultos e crianças, por tempo prolongado para controlar a inflamação dos brônquios e evitar as crises de asma”, afirma Dr. João Negreiros Tebyriçá, presidente da ASBAI.

Outra maneira importante de prevenir é ressaltar que a higiene ambiental deve ser feita com rigor na casa dos pacientes que sofrem da doença.


Custos

A asma é a quarta maior causa de hospitalização, o que equivale ao terceiro maior gasto do Sistema Único de Saúde (SUS) com uma doença específica, a um custo de aproximadamente R$ 111 milhões.

Os custos da asma podem ser divididos em três tipos: os custos diretos (aqueles que podem ser calculados, como médicos, serviços de ambulância, cuidados domésticos, medicamentos e hospitalizações), os indiretos (relacionados a faltas ao trabalho, direitos previdenciários, faltas escolares, redução de produtividade) e os incalculáveis (o sofrimento humano, do paciente e da família).

De acordo com a ASBAI, a maneira mais eficaz de reduzir os custos da asma é controlar a doença, por meio de diagnóstico e tratamento adequados. Para evitar crises e internações, é fundamental buscar orientação médica e seguir o tratamento prescrito.



Sobre a ASBAI


A Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia existe desde 1946. É uma associação sem finalidade lucrativa, de caráter científico, cujo objetivo é promover o estudo, a discussão e a divulgação de questões relacionadas à Alergologia e à Imunologia Clínica, além da concessão de Título de Especialista em Alergia Clínica e Imunologia a seus sócios, de acordo com convênio celebrado com a Associação Médica Brasileira. Atualmente, a ASBAI tem representações regionais em 21 estados brasileiros.



Serviço

Site da ASBAI: http://www.asbai.org.br

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Terça, 12 de Dezembro de 2017
Segunda, 11 de Dezembro de 2017
20:42
Loteria
10:00
Receita do dia
Domingo, 10 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)