Cassilândia, Sábado, 18 de Agosto de 2018

Últimas Notícias

08/08/2018 07:40

"Ligue 180" recebeu 1,2 mil denúncias de violência doméstica em MS

Campo Grande News

A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência recebeu 1.255 denúncias feitas de Mato Grosso do Sul no primeiro semestre deste ano. O número foi divulgado pelo MDH (Ministério dos Direitos Humanos) nesta terça-feira (7), data em que a Lei Maria da Penha completa 12 anos.

Essa normativa tem motivado cada vez mais ações de combate a esse tipo de crime e o serviço conhecido como “Ligue 180” é um deles.

A quantia de ligações feitas no estado representa apenas 1,72% dos 72.825 casos que vieram à tona em todo o país nas ligações para a central.

A maior parte dos casos diz respeito aos casos de violências físicas (16.615), psicológicas (12.745), sexuais (2.445), cárcere privado (1.430) e tentativa de feminicídio (3.018).

Todos esses tipos de agressões, que normalmente antecedem a morte das vítimas, passaram a ser considerados crimes a partir da Lei Maria da Penha, que leva o nome de uma farmacêutica bioquímica que ficou paraplégica depois de levar um tiro do marido.

Com a norma, os criminosos podem ser presos em flagrante e até ter a preventiva decretada pela Justiça se ameaçarem a integridade física das mulheres.

Outro avanço é a possibilidade da concessão de medidas protetivas, seja para tirar de casa os companheiros violentos, seja para impedi-los de se aproximar das vítimas. Além disso, a lei rendeu frutos. Desde 2015 o crime de feminicídio foi definido legalmente como assassinato de mulheres por motivos de desigualdade de gênero e considerado como hediondo.

Campo Grande conta com uma unidade da Casa da Mulher Brasileira, implantada pelo Governo Federal. O local reúne em um mesmo espaço a DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), Juizado Especial voltado para o atendimento das vítimas de violência doméstica, núcleos da promotoria e defensoria pública, alojamentos de passagem e até atendimento psicossocial.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) considera a violência contra a mulher como um problema de saúde pública que atinge todas as esferas sociais.

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sábado, 18 de Agosto de 2018
Sexta, 17 de Agosto de 2018
09:00
Santo do dia
08:20
Cassilândia
Quinta, 16 de Agosto de 2018
10:00
Receita do dia
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)