Cassilândia, Sexta-feira, 25 de Maio de 2018

Últimas Notícias

24/03/2015 06:35

"Consultoria" - a inovação na corrupção, por Manoel Afonso

Manoel Afonso

Enquanto os militantes petistas depositavam dinheiro – a título de doação - para José Dirceu cumprir as obrigações pecuniárias determinadas pela justiça, o ex-chefe da Casa Civil chegou a receber – como consultor - quase R$30 milhões de clientes, em sua maioria representada por empreiteiras como mostra o noticiário.


Com essa pratica, o PT também conseguiu avacalhar com a nobre atividade de consultoria, que em tese, exige conhecimentos técnicos especializados, no caso de economia/gerenciamento empresarial.


Não é por acaso que algumas empresas tradicionais de consultoria estão espalhadas pelo mundo, prestando serviços para empresas de segmentos diferentes. Evidente que esse ‘know-how’ é resultado de anos a fio de trabalho e uma estrutura que agrega a colaboração de profissionais diplomados em universidades tidas como excelentes.


Mas apesar dos argumentos de defesa, não é difícil concluir de que José Dirceu não teria o gabarito para efetivamente prestar o serviço de consultoria empresarial compatível com seus altos ganhos já de conhecimento público. Embora formado em direito, jamais sobreviveu desta profissão; seu currículo mostra que teve a política como atividade profissional desde que voltou do exílio ao final do regime militar.


A conclusão obvia que paira no imaginário popular, é que o ex Chefe da Casa Civil, simplesmente usou de seu prestígio político e consequentemente de seu poder de influência – mesmo não ocupando cargo no Palácio do Planalto – para agir como intermediário entre as empreiteiras e o Governo visando liberar verbas ou destravar contratos milionários.
As revelações contidas na ‘Lava-Jato’ mostram que essa fatura de José Dirceu estava à serviço do Partido dos Trabalhadores à titulo de propina. Aliás, o indiciamento de seu tesoureiro Vaccari Neto comprova esse elo petista. Não tenham dúvida de que esse caso da Petrobras irá desnudar todo o esquema de corrupção petista em diferentes setores beneficiados pela máquina oficial.


A opinião pública acompanha com interesse os capítulos da Lava-Jato, mas cobra a investigação sobre o Banco Nacional de Desenvolvimento Nacional. Em tempos de crise, é preciso saber para quem e em que condições foram emprestadas quantias fabulosas para empresas e empreendimentos públicos em países como Cuba, Peru, Venezuela e Argentina.


No arremate é preciso reconhecer: o PT faz qualquer negócio para não largar o poder.


Inclusive consultoria.

 

 

 

 

 

 

 

 

Com alterações feitas pelo autor às 15h15

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Sexta, 25 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Quinta, 24 de Maio de 2018
10:00
Receita do dia
Quarta, 23 de Maio de 2018
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)