Cassilândia, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

Últimas Notícias

22/05/2016 13:00

Ciclo menstrual: como ele é?

Abc Med

Denomina-se ciclo menstrual às alterações fisiológicas cíclicas que ocorrem nas mulheres férteis e que têm como finalidade promover a fecundação e a consequente reprodução.

Com algumas modificações, por vezes significativas, ele ocorre também nas fêmeas de animais, mas neste artigo foca-se apenas o ciclo da mulher.

Em geral, e em resumo, passa-se o seguinte: após cada menstruação os óvulos contidos nos ovários começam a amadurecer, até que um deles se liberta do ovário e é captado pelas trompas de Falópio, caminhando por elas rumo ao útero. Se a meio caminho esse óvulo for fecundado por um espermatozoide, ele se fixará no útero e iniciará uma gravidez. Se a fecundação não ocorrer, será eliminado juntamente com o reservatório interno do útero, na menstruação. Inicia-se assim um novo ciclo menstrual, que deve ser contado a partir do primeiro dia da menstruação.

O ciclo menstrual é regulado por hormônios comandados pelo sistema hipotálamo-hipofisário e pode ser dividido em três fases: fase folicular, ovulação e fase luteínica. Essa regulação natural pode ser alterada por meio de certas medicações (geralmente hormônios), por certas doenças sistêmicas, alimentação, atividade sexual ou eventos psicológicos significativos. Os métodos anticoncepcionais hormonais, por exemplo, são alterações de tal natureza, induzidas propositadamente e destinadas a impedir a fecundação e a gravidez.

Como são as fases do ciclo menstrual?

Fase folicular:

Os folículos são estruturas presentes nos ovários desde o nascimento da mulher, mas que permanecem inativos até a puberdade quando, sob a influência de hormônios, experimentam um maior desenvolvimento. A partir da puberdade, em cada ciclo menstrual um desses folículos se desenvolve até dar origem a um óvulo maduro, o qual se desprende do ovário e, se fecundado, resultará numa gravidez e, se não fecundado, acabará na menstruação. De cada vez, à medida que se desenvolvem, os folículos segregam quantidades cada vez maiores de estradiol, um estrogênio que estimula a proliferação do endométrio (revestimento interno do útero) e produz mudanças no muco cervical, preparando o organismo para a fertilização e para a nidação do embrião. Em virtude das alterações que acontecem no endométrio, a fase folicular costuma ser chamada de fase proliferativa. Essa fase começa com o início de cada menstruação, dura em média 15 dias e termina com a ovulação.

Ovulação:

Mais ou menos na metade do ciclo, depois de 24 a 36 horas do pico de produção do hormônio luteinizante (LH), o ovário liberta um óvulo. Inicia-se, assim, a fase da ovulação. Se não houver fertilização, o óvulo liberado sobrevive no máximo por 24 horas e depois se desintegra. Durante a fase folicular, o estradiol a princípio inibe a produção de LH hipofisário, mas à medida que o óvulo se aproxima da maturação, os níveis de estradiol alcançam valores acima dos quais estimulam maior produção de LH. Isso faz com que o óvulo amadureça rapidamente e a parede do folículo enfraqueça, libertando o óvulo do ovário. É a ovulação, momento auge do ciclo menstrual.

Como efeito secundário, a temperatura corporal aumenta em todo esse período, tornando-se um dos indicativos de fertilidade que a mulher utiliza, se deseja ou não engravidar. Parece ser aleatório o fato de que seja o ovário direito ou o esquerdo que liberta o óvulo em cada ciclo, mas se ambos o fizerem num mesmo momento, darão origem a gêmeos bivitelinos.

Depois de liberado pelo ovário, o óvulo é captado pelas trompas, através da fímbria (pequena membrana no fim de cada trompa) e caminha por elas em direção ao útero. Nesse trajeto ele pode ou não encontrar-se com o espermatozoide e ser fecundado por ele. Se não ocorrer a fecundação, o óvulo se desintegra ou se dissolve após cerca de um dia; se a fecundação ocorrer, forma-se o ovo, que caminhará rumo ao útero, onde se aninhará e crescerá. A fertilização do óvulo pelo espermatozoide se dá normalmente na parte mais larga das trompas, a chamada ampola. Um óvulo fertilizado leva cerca de três dias para alcançar o útero e mais três dias para implantar-se no endométrio e iniciar a gestação.

Fase luteínica:

Os resquícios do folículo de onde tenha saído o óvulo formarão o corpo lúteo, uma estrutura endócrina temporária, de cor amarelada, produtora de progesterona. Sob a influência desse hormônio, o endométrio se prepara para uma possível nidação de um embrião. Se ocorrer fecundação, o corpo lúteo permanecerá por cinco a seis meses, mantido pela gonadotrofina coriônica produzida pelo embrião. Se a fecundação não ocorrer, o corpo lúteo experimentará uma involução em cerca de 10 a 12 dias.

A duração da fase folicular em cada mulher varia um pouco de ciclo para ciclo, mas a fase luteínica é bastante regular. Uma vez que essa gonadotrofina é apenas produzida pelo embrião, muitos testes de gravidez baseiam-se na presença dela.

Qual é a duração de um ciclo menstrual?

A duração do ciclo menstrual varia em cada mulher, dentro de limites mais ou menos estritos. Em média, o ciclo completo em uma mulher sadia dura em torno de 28 dias, com uma variação de até oito dias entre o maior e o menor ciclo. Os ciclos menstruais variam também com fatores externos. Assim, por exemplo, observaram-se variações ligadas aos ciclos lunares. Um estudo extensivo demonstrou que cerca de um terço das mulheres tinha ciclos menstruais coincidentes com o ciclo lunar (29,5 dias mais ou menos) e quase dois terços revelaram que o seu ciclo se iniciava durante a fase mais brilhante do ciclo lunar. Outro estudo mostrou que um número estatisticamente significativo de menstruações ocorria durante a lua nova. Também se chegou a postular que muitas mulheres vivendo em ambientes confinados (prisões, conventos, etc.), seriam capazes de sincronizar entre si seus ciclos menstruais. Essa afirmação, contudo, depende de melhor confirmação.

O que é período fértil?

Período fértil é aquele no qual são maiores as probabilidades de que uma gravidez resulte de uma relação sexual. Ele ocorre entre os cinco dias que precedem a ovulação até o primeiro ou segundo dia que se sucede a ela. Em geral, isto corresponde à segunda e início da terceira semana do ciclo. Vários métodos foram desenvolvidos para permitir à mulher fazer uma estimativa dos dias férteis ou inférteis de seu ciclo menstrual. Eles tanto podem ser usados por mulheres que desejam uma gravidez (que devem procurar manter relações sexuais durante eles), quanto pelas que não a desejam (que devem evitar manter relações sexuais durante eles ou se utilizarem de algum método anticoncepcional).

O que é menstruação?

Externamente, a menstruação é o acontecimento mais chamativo do ciclo menstrual. Ela consta da eliminação periódica, pela vagina, de fluidos corporais e sangue provenientes da descamação do revestimento interno do útero, a qual ocorre em cada ciclo menstrual, sempre que não acontece uma gravidez. Ela é um acontecimento fisiológico normal, dura de 3 a 7 dias e sua regularidade sinaliza um sistema reprodutivo sadio. Em média, decorrem 28 (21 a 35) dias entre o fim de uma menstruação e o início da seguinte, mas esse intervalo pode variar de uma mulher para outra ou entre diferentes ciclos de uma mesma mulher.

Na fase inicial das menstruações (primeiras menstruações), é comum que ocorram intervalos de 4 a 6 meses ou, eventualmente, de até um ou dois anos sem que ela aconteça. Isso ocorre porque quando os ovários iniciam suas funções, eles ainda não estão completamente amadurecidos.

Curiosidades sobre o ciclo menstrual:

Em média, a menstruação leva à perda de 40 ml de sangue (entre 10 ml e 80 ml). Geralmente, os contraceptivos intrauterinos (DIU) aumentam o sangramento, enquanto que os anticoncepcionais orais diminuem o fluxo menstrual.
A primeira menstruação da menina é chamada menarca e ocorre, em média, por volta dos doze anos de idade (entre os 10 e 16 anos), ou seja, uns dois anos depois dos seios da menina começarem a crescer e pouco tempo depois de nascerem os pelos púbicos.
Durante os primeiros dias da menstruação é comum haver cólicas abdominais e dores nas costas, crescimento e dores nas mamas, presença de acne e outros sintomas.
A dor intensa no útero durante a menstruação é chamada dismenorreia e é mais frequente entre adolescentes e mulheres jovens.
Quando a menstruação se inicia, normalmente diminui a intensidade dos sintomas associados à tensão pré-menstrual (TPM), como as dores nas mamas e a irritabilidade.
Durante o período de aleitamento, a maioria das mulheres (cerca de 70%) não menstrua, mas isso não significa que não possam engravidar.

 

Envie seu Comentário
Os comentários feitos no Cassilândia News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:

1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
7. Que tenham característica de prática de spam.

O Cassilândia News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.
Restamcaracteres.
 
imagem transparente
Últimas notícias
Scroller Top
Domingo, 17 de Dezembro de 2017
10:00
Receita do dia
Sábado, 16 de Dezembro de 2017
Sexta, 15 de Dezembro de 2017
Scroller Bottom

  • Idalus Internet Solutions
  • TOP DataCenter e Internet
  • Disponível na AppStore
  • Disponível no Google Play
Rua Sebastião Leal, 845, CEP: 79.540-000, Cassilândia (MS)